Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.

30488Re: National Geographic : Ossuário de Tiago, irmão de Jesus perto de ser autenticado

Expandir mensagens
  • mmsilva100
    7 de ago de 2008
      Olá Marcelo JUN,
      Um fato é um fato, não me importa se ele tenha vindo do barão
      de Munchausen ou do Pinóquio. Denegrir um fato baseado no caráter de
      alguém é nada mais nada menos de seguir uma falácia ad hominen.
      Oded é um antiquário e colecionador de relíquias religiosas e
      com certeza deve ter passado por suas mãos várias fraudes. A própria
      inscrição de Joás, não foi ele quem falsificou, mas outra pessoa e
      Oded passou adiante.
      As inscrições são em aramaico do século I AD, mesmos os
      críticos que atestam ser o artefato uma fraude não admitem a fraude a
      Oded Golan, mas a algum cristão fabricante de relíquias sagradas da
      Idade Antiga ou Média.
      A maioria dos críticos têm se apoiado na opinião da Dra.
      Rochelle Altman, uma especialista em detectar fraudes arqueológicas,
      que através da análise de algumas fotos da inscrição alegou que a
      segunda parte da inscrição fosse uma inscrição posterior. O
      comentário do professor da BYU citado segue a mesma linha de
      raciocínio de Altman.
      O Dr. Brian Cox já respondera brilhantemente a Altman contra esta
      objeção e defendeu a autenticidade da relíquia, veja a discussão
      sobre o assunto:

      http://www.earlychristianwritings.com/james-bone-box.html

      Bom, temos até agora Andre Lemaire, filólogo e epigrafista da Escola
      de Estudos Superiores de Paris, temos especialistas em hebreu e
      Aramaico da Biblical Arqueological Review confirmando que o Aramaico
      é realmente da época de Cristo, temos cientistas da Geological Survey
      of Israel que analizaram inúmeras amostras de ossuários semelhantes
      afirmando: "No evidence that might detract from the authenticity of
      the patina and the inscription was found" e agora temos os cientistas
      do Museu de Toronto confirmando através da análise do espectômetro de
      massa que a inscrição é genuína.
      E agora Mr. Jun, qual o interesse de Monsieur Lamaire, do Dr. Bryan
      Cox, da BAR, do Geological Survey of Israel em defender o Sr. Oded
      Golan, que pela suas palavras parece que este foi o fraudador do
      ossuário?
      Como antes já disse, o artigo de ontem de 06 de Agosto de 2008 da
      National Geographic é a última posição que temos até agora desta
      epopéia, a qual é, a análise e os testes realizados pelos
      especialistas do Museu de Toronto atestam que o a inscrição do
      ossuário é genuína, não uma dupla entrada. Qualquer opinião anterior
      a Dezembro de 2007, data da exposição das conclusões do Museu de
      Toronto sobre os estudos realizados sobre o ossuário são opiniões
      desatualizadas e não levaram em conta esta última exposição dos fatos.

      Quanto ao número de Yacovs, Yosefs e Yoshoua na palestina no século
      I AD, creio que o artigo explica bem que apesar dos nomes serem
      comuns, a probabilidade de serem encontrados juntos nesta ordem, pai,
      filho e irmão são bem mais restritas.

      Até mais!
    • Mostrar todas as 11 mensagens neste tópico