Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.
 

Saramago compara FARC a exércitos da Idade Média

Expandir mensagens
  • Ubiratan Rocha da Silva
    Saramago compara FARC a exércitos da Idade Média 22 FEV 09 às 21:38 José Saramago comparou os métodos das FARC aos usados pelos exércitos medievais e
    Mensagem 1 de 1 , 11 de abr de 2009
      Saramago compara FARC a exércitos da Idade Média

      22 FEV 09 às 21:38

      José Saramago comparou os métodos das FARC aos usados pelos exércitos medievais e disse que nenhum humano aprovaria o sequestro para alcançar objectivos políticos. Em entrevista a um jornal colombiano, o Prémio Nobel classificou as FARC de terroristas.
      José Saramago comparou os métodos usados pela FARC aos usados pelos exércitos na Idade Média que faziam a «política da terra queimada» e sustentou que nenhum humano aprova o sequestro para alcançar objectivos políticos.

      Numa entrevista publicada este domingo pelo diário colombiano El Espectador, o Prémio Nobel da Literatura foi ainda mais longe ao defender que os revolucionários são terroristas e que estes «exercem a força contra os mais fracos», como tem feito o poder ao longo da história.

      Saramago questionou-se mesmo se este movimento revolucionário «não actua de forma tão criminosa como George W. Bush» e perguntou se seria necessária uma revolução para que deixassem de ter o «sequestro e a morte como linha de actuação».

      «Que diferença existe entre os sequestros de Guantanamo, as guerras preventivas no Iraque, as torturas nas prisões secretas e aquilo que as FARC fazem?», perguntou na entrevista que concedeu.

      Ao falar sobre os reféns que as FARC têm ainda sob o seu poder, o escritor português apelou ainda a que todos se manifestem «para consolar, para pressionar, para salvar-nos da humilhação de haver gente sequestrada».

      Saramago disse ainda ter chorado ao ver o ex-deputado colombiano Sigifredo Lopez, que foi libertado pelas FARC a 5 de Fevereiro, fazer uma alusão a uma das personagens de uma obra sua, recentemente transposta para o cinema.

      «Vi-me obrigado a romper em soluços quando Sigifredo, para exprimir a sua infinita gratidão a Piedad [Cordoba, líder de uma comissão humanitária], a comparou à mulher do médico de Ensaio sobre a Cegueira. Toda a existência de homem e de escritor está justificada nesse momento», confessou.


      Fonte: http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=1151955
    Sua mensagem foi enviada com êxito e será entregue aos destinatários em breve.