Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.
 

O compositor, escritor e poeta Abel Silva está em Natal (28/11/08)

Expandir mensagens
  • Ubiratan Rocha da Silva
    (28/11/08) O compositor, escritor e poeta Abel Silva está em Natal para falar de música e poesia dentro da programação do ENE. O tema da mesa para a qual
    Mensagem 1 de 1 , 28 de nov de 2008
      (28/11/08)

      O compositor, escritor e poeta Abel Silva está em Natal para falar de
      música e poesia dentro da programação do ENE.

      O tema da mesa para a qual foi convidado é "Palavra escrita, palavra
      cantada"; que propõe discutir os contornos das duas formas de
      expressão literária — a poesia, a letra.

      O debate acontece hoje, às 16h, na tenda literária armada na Praça
      Augusto Severo. Para debater o tema com Abel Silva foram convidados o
      poeta, advogado e filósofo mossoroense Antônio Ronaldo; a paraibana
      Nivaldete Ferreira, poeta, escritora, pintora e professora; e o
      natalense Eduardo Gosson, sociólogo, poeta e presidente da União
      Brasileira de Escritores do Estado - UBE/RN.

      Com 35 anos de carreira, Abel Silva comemora o sucesso alcançado como
      resultado de seu trabalho, atestado, por exemplo, por suas parcerias
      com os maiores melodistas brasileiros como João Bosco, Morais
      Moreira, Edu Lobo, Francis Hime, Sueli Costa, Macalé, Ivan Lins e
      muitos outros. "Praticamente todos os grandes interpretes brasileiros
      me gravaram, como Elis, Gal, Bethânia, Simone, Nara, Nana, Caubi,
      Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Djavan, Chico Buarque, enfim toda esta
      gente que deu vida à minha poesia e possibilitou que eu vivesse dela,
      coisa raríssima e que me enche de orgulho", fala com alegria Abel
      Silva, que concedeu por e-mail entrevista ao VIVER, perto de embarcar
      para Natal.

      Nascido em Cabo Frio (RJ), em 28 de fevereiro de 1943, Abel Ferreira
      da Silva foi aos dois anos para a cidade do Rio de Janeiro; criado no
      bairro do Catete, para onde se mudou com a família. Desde adolescente
      Abel Silva nutria admiração pelas palavras e passou a freqüentas a
      biblioteca de seu pai. O resultado deste contato foi influência que
      recebeu autores Fernando Pessoa, Graciliano Ramos, Sade, Poe, Sartre
      e Oswald de Andrade.

      Abel Silva foi estudante da Faculdade Nacional de Filosofia e
      Direito, onde liderou nas décadas de 60 e 70 movimentos estudantis.
      As palavras ouvidas, proferidas ou proibidas daquelas décadas
      compuseram parte do texto que o define. Em 1971 lançou o romance "O
      Afogado"; em 1974, o livro de contos "Açougue das Almas" e, cinco
      anos depois, o primeiro livro de poesias intitulado "Asas". Títulos
      sugestivos quando relacionados ao ano em que foram publicados. No
      fim da ditadura Abel tinha "Asas", foi o seu primeiro voo para
      poesia. "Na verdade sempre a poesia esteve comigo, mas foi a última a
      vir a tona publicamente e não saberia explicar bem porque, talvez por
      excesso de respeito por esta expressão artística, que considero a
      mais sofisticada forma de comunicação humana. Foi Glauber Rocha
      que `me liberou', lendo meus poemas e se propondo a prefaciar meu
      primeiro livro de poesia", explicou Abel.

      A convivência com poeta e músicos ampliou o seu campo de atuação. "A
      minha aproximação da música como poeta veio naturalmente devido à
      imensa influência de Vinicius de Moraes não só sobre mim, mas sobre
      toda a minha geração", revelou Abel Silva. "Minha primeira música em
      parceria com Sueli Costa, Jura Secreta explodiu em todo o Brasil há
      trinta e cinco anos na voz de Simone e de Fagner me empurrando
      decididamente para a carreira de poeta da canção e do livro"
      completou Abel.

      Suas composições, a exemplo de Festa do Interior, Espírito Esportivo,
      Baldes do Maracanã, Bumerangue; ganharam espaço no cenário nacional.
      Grandes intérpretes da MPB emprestaram suas vozes para cantá-las. Mas
      o músico de 65 anos não quer deixar a poeira baixar. Está produzindo
      um CD em parceria com João Donato, com quem criou clássicos como
      Simples Carinho, e Brisa do Mar. "Este é um CD comemorativo, com
      minhas canções mais conhecidas, como Festa do Interior, Jura Secreta,
      Desenho de Giz , Quando o Amor Acontece e etc.", antecipou Abel
      Silva.

      Fonte:http://tribunadonorte.com.br/noticias/94125.html
    Sua mensagem foi enviada com êxito e será entregue aos destinatários em breve.