Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.
 

Cristóvão Tezza vence prémio Portugal Telecom de Literatura (2008)

Expandir mensagens
  • Ubiratan Rocha da Silva
    Cristóvão Tezza vence prémio Portugal Telecom de Literatura ... Nacional (Diário dos Açores) 02/11/2008 08:11:8 O escritor
    Mensagem 1 de 1 , 3 de nov de 2008
      Cristóvão Tezza vence prémio Portugal Telecom de Literatura
      -----------------------------------------------------------
      Nacional (Diário dos Açores)

      02/11/2008 08:11:8

      O escritor brasileiro Cristóvão Tezza foi o vencedor do Prémio
      Portugal Telecom de Literatura em Língua Portuguesa 2008, com o
      romance "O Filho Eterno", que incorpora elementos da sua realidade
      pessoal e familiar, foi anunciado quarta-feira .
      Com 56 anos e natural de Santa Catarina, Cristóvão Tezza é professor
      universitário na Universidade Federal do Panamá. O Filho Eterno, que
      aborda a experiência de criar um filho com síndrome de Down, é um dos
      13 títulos que o autor publicou desde que começou a escrever na
      adolescência, a par de "O Trapo", "O Fantasma da
      infância", "Aventuras Provisórias", "Breve Espaço entre cor e sombra"
      e "O Fotógrafo", entre outros.
      O segundo prémio foi atribuído ex-equo ao escritor português António
      Lobo Antunes (que se fez representar pela sua agente para receber o
      galardão), com o romance "Eu hei-de amar uma pedra", e à escritora
      brasileira Beatriz Bracher, autora do romance "António".
      O terceiro prémio coube ao escritor brasileiro Bernardo Carvalho,
      autor de "O Sol se põe em São Paulo". Os vencedores da sexta edição
      do Prémio Portugal Telecom, que premeia a melhor obra literária
      escrita em língua portuguesa editada no Brasil, foram anunciados
      quarta-feira à noite, em São Paulo, numa gala organizada pela
      operadora de telecomunicações.
      O primeiro lugar corresponde a um prémio de 100 mil reais (36 mil
      euros), o segundo a 35 mil reais (12,5 mil euros) e o terceiro a 15
      mil reais (5,3 mil euros). O poeta e prosador angolano Ondjaki, que
      era um dos dez escritores finalistas do certame (com a obra "Os da
      minha rua"), mostrou-se contente pela atribuição do galardão a Tezza.
      «É um prémio merecidíssimo. Foi uma atribuição justíssima», afirmou à
      Lusa o autor angolano, à margem da cerimónia de atribuição do prémio
      literário. Além dos premiados, os restantes nomeados eram Juliá Fuks
      ("Histórias da Literatura e cegueira"), Marília Garcia ("20 poemas
      para o seu walkman"), Nicolas Behr ("Laranja Selecta"), Raimundo
      Carrero ("O amor não tem bons sentimentos"), Ondjaki ("Os da minha
      rua") e Paulo Henriques Brito ("Tarde").
      Estes autores e respectivas obras foram escolhidos entre os 398
      livros publicados em 2008 que foram inscritos pelas editoras para
      concorrer a este prémio que já vai na sexta edição.

      Fonte:http://da.online.pt/news.php?id=158776
    Sua mensagem foi enviada com êxito e será entregue aos destinatários em breve.