Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.
 

Luandino Vieira vence Prémio Nacional de Cultura angolano, em Literatura 2008

Expandir mensagens
  • Ubiratan Rocha da Silva
    Luandino Vieira vence Prémio Nacional de Cultura angolano, em Literatura Lisboa, 28 Out 2008 (Lusa) - O escritor Luandino Vieira venceu o Prémio Nacional de
    Mensagem 1 de 1 , 29 de out de 2008
      Luandino Vieira vence Prémio Nacional de Cultura angolano, em
      Literatura



      Lisboa, 28 Out 2008 (Lusa) - O escritor Luandino Vieira venceu o
      Prémio Nacional de Cultura de Angola, em Literatura, no valor de
      35.000 dólares, atribuído pelo Ministério da Cultura, que distinguiu
      também outros nomes nas áreas da música, artes plásticas, dança,
      cinema e ciências humanas e sociais.

      Juntamente com o autor de "Luuanda" foram premiados o realizador da
      Televisão Pública de Angola Carlos Henriques (a título póstumo), na
      categoria de Cinema e Audiovisual, Paulo Flores e o grupo Elinga
      Teatro na música, o grupo Kamatemba na Dança, Carlos Manuel Lopes na
      Investigação em Ciências Humanas e Sociais, e Francisco Van-Dunem,
      nas Artes Plásticas.

      Um dos mais importantes escritores de língua portuguesa, Luandino
      Vieira foi o vencedor do Prémio Camões 2006, o maior galardão
      literário da língua portuguesa, que recusou «por motivos pessoais».

      José Vieira Mateus da Graça de seu nome civil, literariamente
      Luandino Vieira, o escritor nasceu a 4 de Maio de 1935, em Vila Nova
      de Ourém, indo viver para Angola ainda criança. Actualmente, reside
      em Portugal.

      Entre outros prémios literários, conquistou o Grande Prémio de
      Novelística da Sociedade Portuguesa de Escritores (1965), com o
      polémico romance "Luuanda", o Prémio Sociedade Cultural de Angola
      (1961), o da Casa do Império dos Estudantes - Lisboa (1963) e o da
      Associação de Naturais de Angola (1963).

      Da sua obra constam títulos como "Nosso Musseque", "A vida verdadeira
      de Domingos Xavier", "Nós, os do Makulusu", "Luuanda", "No
      antigamente, na vida", "Velhas estórias", "A cidade e a
      infância", "Vidas novas", "Lourentinho, Dona Antónia de Sousa Neto &
      Eu".

      Com "De rios velhos e guerrilheiros - O livro dos rios", o escritor
      pôs fim em 2006 a um prolongado silêncio editorial.

      RMM.

      Lusa/fim

      Fonte:
      http://aeiou.expresso.pt/gen.pl?
      p=stories&op=view&fokey=ex.stories/437709
    Sua mensagem foi enviada com êxito e será entregue aos destinatários em breve.