Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.
 

Mudanças afetam a escrita - Decreto assindo 29/9/2008 Acordo Ortográfico

Expandir mensagens
  • Ubiratan Rocha da Silva
    Mudanças afetam a escrita O português vai mudar. Mas antes de sair rasgando a gramática e jogando na lata do lixo a última edição daquele novíssimo
    Mensagem 1 de 1 , 6 de out de 2008
      Mudanças afetam a escrita

      O português vai mudar. Mas antes de sair rasgando a gramática e
      jogando na lata do lixo a última edição daquele novíssimo dicionário,
      saiba que as mudanças serão ortográficas e progressivas. A reforma
      modifica o jeito de escrever de algumas palavras no Brasil e em
      outros países de Língua Portuguesa. Entre outros, acaba com o emprego
      de vários hífens, elimina completamente o trema e com as consoantes
      mudas, ainda usadas em Portugal, e mexe em regras de acentuação.

      O decreto assinado na última segunda-feira (29/9/2008) pelo
      presidente Luiz Inácio Lula da Silva, durante solenidade na Academia
      Brasileira de Letras (ABL) no Rio de Janeiro (RJ), estabelece que as
      novas regras entram em vigor no Brasil a partir de janeiro do próximo
      ano, mas o jeito antigo e o novo de escrever serão aceitos
      oficialmente até dezembro de 2012. Até lá, professores e alunos terão
      tempo para se adaptarem.

      A reforma tenta uniformizar o idioma escrito entre os oito países de
      Língua Portuguesa: Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Guiné-
      Bissau, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Timor Leste. O novo acordo
      ortográfico, oficialmente chamado de Acordo Ortográfico da Língua
      Portuguesa, vinha sendo gestado desde 1990, mas de questões políticas
      à resistência às mudanças arrastaram as discussões entre as nações
      lusófonas.

      Um dos principais opositores foi justamente Portugal, pois a queda
      das consoantes mudas afeta diretamente a grafia lusitana de algumas
      palavras, como projecto e objectivo entre outras. Os portugueses
      demoraram a assinar o acordo porque as mudanças serão mais profundas
      e de maior impacto para sua população. O novo acordo ortográfico foi
      aprovado pelo Congresso brasileiro em 2007.

      Há uma semana, o governo federal publicou no Diário Oficial da União
      uma determinação do Ministério da Educação para que os livros
      didáticos distribuídos para os alunos em 2010 já contenham todas as
      mudanças ortográficas previstas na reforma. Os editores terão dois
      anos para abolirem o trema, o hífen e fazerem nos livros as outras
      modificações estabelecidas.

      Marcello Xavier
      Especial para O Poti
    Sua mensagem foi enviada com êxito e será entregue aos destinatários em breve.