Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.
 

Caos - Terrorismo Poético e outros Crimes Exemplares - Hakim Bey

Expandir mensagens
  • Ubiratan Rocha da Silva
    Caos - Terrorismo Poético e outros Crimes Exemplares Hakim Bey Hakim Bey, o misterioso Profeta do Caos , volta às livrarias para continuar a confusão
    Mensagem 1 de 1 , 30 de jun de 2006
      Caos - Terrorismo Poético e outros Crimes Exemplares
      Hakim Bey

      Hakim Bey, o misterioso "Profeta do Caos", volta às livrarias para
      continuar a confusão iniciada com seu TAZ ­ Zona Autônoma Temporária,
      também publicado pela Conrad Editora. Não há como passar imune pela
      prosa/poesia deste livro. E não espere idéias prontas, lugares-comuns
      e ortodoxia de qualquer espécie. Não se pode pretender um manual de
      alívio de consciência de alguém que une coisas tão distintas como
      Artaud, Bakunin, Nietzsche, Situacionismo, Filosofia Sufi e heresias
      de todas as ordens. E aqueles que consideraram Hakim Bey um filósofo
      político, um mero artífice de cartilhas doutrinárias, fujam deste
      livro: o autor se levanta contra aquilo que chama de masoquismo
      revolucionário e de auto-sacrifício idealista, além de
      atacar/perverter toda tradição da esquerda ocidental. TODAS. Do Caos
      e para o Caos, ergue o que ele chama de Associação para a Anarquia
      Ontológica.Terrorismo Poético, Paganismo, Arte-Sabotagem, Misticismo,
      Pornografia, Crime.Estes são apenas alguns dos "pretextos"dos quais
      Bey parte para nos desafiar com sua linguagem delirante, brutal,
      absurda por vezes."Dadaísmo/Surrealismo linha-dura", como bem
      observou um crítico. A linguagem do desejo. Definitivamente, este não
      é um livro para espíritos conservadores.

      O Autor
      Não há fotos de Hakim Bey. Milhares de histórias a respeito de quem
      ele seria correm soltas pela internet. A mais freqüente diz que Bey
      teria sido um poeta em algum lugar do norte da Índia, que por
      questões políticas fora obrigado a fugir para a Inglaterra e depois,
      devido ao envolvimento em uma ação terrorista, teria se refugiado em
      Nova York. Sabe-se que ele viveu muito tempo no Irã, mas suas
      atividades nesse país ainda continuam um mistério. Quando a Times
      tentou entrevistá-lo, Bey se recusou e passou um tempo desaparecido.
      Mas nada disso impediu que se tornasse um dos autores mais discutidos
      do mundo atual. Cogita-se até que Hakim Bey seja Peter Lamborn Wilson
      (ou vice-versa), cujo livro Utopias Piratas -­ Mouros, Hereges e
      Renegados também foi publicado pela Conrad Editora.

      Fonte: http://www.lojaconrad.com.br/produto.asp?id=142


      urs.Bira
      Moderação Literatura & Leitura
    Sua mensagem foi enviada com êxito e será entregue aos destinatários em breve.