Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.

RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

Expandir mensagens
  • oliveirawaldir
    O texto da Arandi está entre e a seguir o que comentei na época. http://br.groups.yahoo.com/group/jwrochester/message/1232 RETRATAÇÃO Que o
    Mensagem 1 de 7 , 30 de ago de 2009
    Exibir fonte
    • 0 Anexo
      O texto da Arandi está entre <<< >>> e a seguir o que comentei na época.

      http://br.groups.yahoo.com/group/jwrochester/message/1232

      RETRATAÇÃO
      Que o Senhor Jesus nos abençoe!
      Caros irmãos e leitores amigos,
      <<<Eu, Conde Rochester, aqui estou, consternado, mas decidido a dizer-vos tão somente a verdade.>>>

      ***Consternado = profundamente triste, coração angustiado, dolorido, ânimo abatido, prostrado pela dor, desalentado, desolado, profundamente aflito.

      Decidido a dizer a verdade nada mais que a verdade... juro!

      Nesse estado psíquico não se consegue fazer nada, nem pensar em coisas boas, muito menos escrever. Tanto é que colocou em dúvida os escritos anteriores.
      Um exagero para este texto.

      <<<Sinto a alma dolorida e angustiado o coração, consternado ao relembrar antigos conceitos que jà não fazem parte dos meus veros sentimentos, sendo eu, hoje, o resultado de uma transformação sofrida, graças a Deus.

      Nas sendas espinhosas das passadas existências, quase sempre acicatado pela dor e pela revolta; na desorientação de mim mesmo, enveredando por ínvios caminhos, tortuosos e altamente cobradores, muitas vezes, reagi de maneira anti-cristã.
      Defendendo aquilo que julgava ser ou ter, feri muitos irmãos de jornada, da forma mais abjeta possível.
      Tendo conservado em mim o ódio e o desprezo a determinadas raças,
      apontei-lhes, duramente, suas nuances atávicas, na intenção declarada de denegri-las, se bem que eu também exibia as minhas, tão merecedoras de censura quanto, como sói acontecer com todos nós, seres humanos.>>>

      Até aqui, qualquer aluno repetente deste "planeta escola" experimentou este estado de consternação, para usar a mesmo significado.

      <<<De todas as armas que este mundo conhece, o pensamento concretizado é das piores e das mais fulminantes. E, neste sentido, o talento que exerço há tantos séculos coloriu e convenceu aqueles que, tão imperfeitos quanto eu, aceitaram tais abusos literários.>>>

      Se, fala-se aqui aos abusos literários do séc. XVII, aceita-se, ou melhor, aceito, porém, não embarquei em tais abusos literários ;-).

      <<<Cegos pelo orgulho e pela vaidade, estigmatizei até a mim mesmo, nas personagens desta ou daquela época, oriundas das raças discriminadas.>>>

      A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Afinal, estamos remetendo a épocas recuadas, nas quais falava-se pouco, ou quase nada, em justiça e fraternidade, exercitando-as menos ainda.
      <<<Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie.
      Aquilo que hoje é censurado e considerado inadmissível, no passado fazia parte dos hábitos e costumes da maioria.
      A cada regresso para o Mundo Espitirual e a cada nova oportunidade de
      reencarnação, eu tomava decisões, certo de que poderia emendar-me.
      Mas...como sempre fazia, guindava-me ao poder e, uma vez nele, externava as minhas imperfeições espirituais.
      Deprimido pela constatação aflitiva das dificuldades morais que carregava, difíceis de alijar, requisitei à Misericórdia Divina a sagrada oportunidade de narrar as múltiplas experiências ao longo das diversas civilizações; nos passados que retratavam as minhas vidas e as vidas daqueles que comigo caminhavam; no afã de penitenciar-me, enquanto esclarecia o público, ilustradamente, sobre a grande lei de ação e reação, à qual estamos todos submetidos.
      Desta forma, atirei-me, sem cessar, às épicas narrativas, revivendo muitas existências que tornaram-se conhecidas e apreciadas pelos meus caros leitores.>>>

      A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie. <( a defesa dos dizeres do texto acima está feita aqui "por ele mesmo"... deveria ele ter torcido a história?)>
      ....................
      Mas...oh! Deus, apesar do grande entusiasmo e das primeiras intenções, ainda imbuído das minhas paixões desequilibradas, extravasei pareceres particulares, nocivos para as referidas obras, que visavam a minha evolução espiritual e, também, a daqueles que tivessem a oportunidade de lê-las...

      <<<...Perdoem-me a ousadia da assertiva, porém, sei o que digo e o quanto tem-me custado esta modificação consciente e sacrificada.
      O Conde Rochester, hoje, deplora sentimentos injustos por serem
      anti-cristãos e , neste diapasão, usa o pensamento, a pena e o papel, para glorificar o bem e o belo, onde quer que estejam, abominando toda forma de discriminação e de preconceitos, mormente o funesto racismo.
      Já me enterneço mais, amo com mais liberdade, livre das peias antigas que algemavam os meus sentimentos às cadeias da vaidade e do orgulho, vícios morais que me têm feito sofrer duramente....>>>

      ...Os prejuízos das obras editadas no século passado devem ser analisados à luz da razão esclarecida, diante das mudanças sociais evolutivas que o futuro-presente nos requisitou, requisita e requisitará, cada vez mais.

      É me difícil acreditar que um espírito do porte deste escritor tendo a
      prerrogativa de abordar incógnitos protagonistas (encarnados) de segmentos históricos da humanidade e de certa forma pressioná-los para colher depoimentos para maior veracidade dos episódios, não fosse amparado por mentores do Mundo Espiritual e viesse cometer os desatinos que agora tenta se redimir!!? A "astralcomunicação" para livros, mensagens, idéias, formação de opinião etc, não tem espaço para estagiários... ooops, amadores, principalmente naquele início de seculo.

      Tenho minha opinião formada e até o momento não derrubada para significar uma reformulação minha e quiçá também um retratação, de que a propaganda anti-semita constante nos livros O Laço da Morte e A Ira Divina, foram inseridos por editoras pro-czaristas pré-revolução de 1917.

      <<<Se a razão e o coração estivessem trabalhando juntos, à luz do Evangelho de Jesus, sem dúvida não estaríamos passando por este constrangimento, porque primaríamos pelas verdades de Deus e não pelos enganos morais destes ou daqueles que já passaram por este planeta ainda tão imperfeito.
      Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
      "Antes rejeitas dez verdades que aceitar uma mentira."
      "Aqui e agora", nesta conscientização maior da minha enorme responsabilidade e, na retratação sincera que ora assumo diante de Jesus e do público, corajosa e humildemente, falece minhas obras literárias, porque o livre-arbítrio daqueles que respondem pelas edições das mesmas é sagrado e intransferível, bem assim como os louros ou prejuízos decorrentes.>>>

      A mim me parece que o espírito do Conde engajou-se em algum movimento
      religioso no plano Astral e me parece ser o Espiritismo. É o "fora da
      religião não há salvação", e precisa ser o Evangelho do Mestre Jesus, nesta visão.

      Bem para não alongar muito e repetir o que opinei em mensagens anteriores, vamos ficar com:

      Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
      "Antes rejeita dez verdades que aceitar uma mentira."

      Eu rejeito esta "verdade" da remissão de Rochester por obras veiculadas post mortem. ;-)

      Vale lembrar que, acima de qualquer autor, em qualquer época ou
      circunstância, deve-se primar pela divulgação, tão somente, das verdades que elevam e esclarecem de fato, segundo os códigos da Grande Lei.

      Neste propósito, as minhas obras, neste século e numa nova fase ("A Força do Amor", "O Paradigma da Humanidade"e outras que estão sendo psicografadas pela mesma médium), refletem a minha nova disposição e objetivos atuais.
      No "Orai e Vigiai"estarei, continuamente, trilhando estes caminhos
      redentores, junto aos afetos do meu coração e, entre estes, os meus
      queridos leitores.
      Profundamente grato àqueles que me entenderem, abraço-os fraternalmente, esperando a compreensão e a indulgência daqueles que, injustamente, foram atingidos pelas minhas inverdades. Diante destes, inclino-me, humildemente, e peço-lhes perdão.
      Rogando aos céus que o Anjo que vela por nós continue nos
      amparando e iluminando sempre, fica aqui meu apreço e consideração.
      Shallon! (Shalom significa Paz como também Perdão/waldir)
      Rochester
      São Paulo, 14 de abril de 2000.

      Waldir
      Discernimento
      oliveirawaldir@...

      "Há uma Luz que brilha mais que bilhões de sóis juntos.
      É a Essência da Alma.
      Essa é a Luz que brilha em nossos corações"
    • Zuélya
      Waldir. Obrigada por atender o meu pedido. Externo a minha opiniao pessoal: Realmente é um texto mediocre e piegas, sem eira nem beira. Zuélya From:
      Mensagem 2 de 7 , 30 de ago de 2009
      Exibir fonte
      • 0 Anexo
        Waldir.
        Obrigada por atender o meu pedido.
        Externo a minha opiniao pessoal:
        Realmente é um texto mediocre e piegas, sem eira nem beira.
         
        Zuélya
         

        Sent: Sunday, August 30, 2009 2:07 PM
        Subject: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

         

        O texto da Arandi está entre <<< >>> e a seguir o que comentei na época.

        http://br.groups. yahoo.com/ group/jwrocheste r/message/ 1232

        RETRATAÇÃO
        Que o Senhor Jesus nos abençoe!
        Caros irmãos e leitores amigos,
        <<<Eu, Conde Rochester, aqui estou, consternado, mas decidido a dizer-vos tão somente a verdade.>>>

        ***Consternado = profundamente triste, coração angustiado, dolorido, ânimo abatido, prostrado pela dor, desalentado, desolado, profundamente aflito.

        Decidido a dizer a verdade nada mais que a verdade... juro!

        Nesse estado psíquico não se consegue fazer nada, nem pensar em coisas boas, muito menos escrever. Tanto é que colocou em dúvida os escritos anteriores.
        Um exagero para este texto.

        <<<Sinto a alma dolorida e angustiado o coração, consternado ao relembrar antigos conceitos que jà não fazem parte dos meus veros sentimentos, sendo eu, hoje, o resultado de uma transformação sofrida, graças a Deus.

        Nas sendas espinhosas das passadas existências, quase sempre acicatado pela dor e pela revolta; na desorientação de mim mesmo, enveredando por ínvios caminhos, tortuosos e altamente cobradores, muitas vezes, reagi de maneira anti-cristã.
        Defendendo aquilo que julgava ser ou ter, feri muitos irmãos de jornada, da forma mais abjeta possível.
        Tendo conservado em mim o ódio e o desprezo a determinadas raças,
        apontei-lhes, duramente, suas nuances atávicas, na intenção declarada de denegri-las, se bem que eu também exibia as minhas, tão merecedoras de censura quanto, como sói acontecer com todos nós, seres humanos.>>>

        Até aqui, qualquer aluno repetente deste "planeta escola" experimentou este estado de consternação, para usar a mesmo significado.

        <<<De todas as armas que este mundo conhece, o pensamento concretizado é das piores e das mais fulminantes. E, neste sentido, o talento que exerço há tantos séculos coloriu e convenceu aqueles que, tão imperfeitos quanto eu, aceitaram tais abusos literários.>> >

        Se, fala-se aqui aos abusos literários do séc. XVII, aceita-se, ou melhor, aceito, porém, não embarquei em tais abusos literários ;-).

        <<<Cegos pelo orgulho e pela vaidade, estigmatizei até a mim mesmo, nas personagens desta ou daquela época, oriundas das raças discriminadas. >>>

        A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Afinal, estamos remetendo a épocas recuadas, nas quais falava-se pouco, ou quase nada, em justiça e fraternidade, exercitando- as menos ainda.
        <<<Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie.
        Aquilo que hoje é censurado e considerado inadmissível, no passado fazia parte dos hábitos e costumes da maioria.
        A cada regresso para o Mundo Espitirual e a cada nova oportunidade de
        reencarnação, eu tomava decisões, certo de que poderia emendar-me.
        Mas...como sempre fazia, guindava-me ao poder e, uma vez nele, externava as minhas imperfeições espirituais.
        Deprimido pela constatação aflitiva das dificuldades morais que carregava, difíceis de alijar, requisitei à Misericórdia Divina a sagrada oportunidade de narrar as múltiplas experiências ao longo das diversas civilizações; nos passados que retratavam as minhas vidas e as vidas daqueles que comigo caminhavam; no afã de penitenciar- me, enquanto esclarecia o público, ilustradamente, sobre a grande lei de ação e reação, à qual estamos todos submetidos.
        Desta forma, atirei-me, sem cessar, às épicas narrativas, revivendo muitas existências que tornaram-se conhecidas e apreciadas pelos meus caros leitores.>>>

        A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie. <( a defesa dos dizeres do texto acima está feita aqui "por ele mesmo"... deveria ele ter torcido a história?)>
        ............ ........
        Mas...oh! Deus, apesar do grande entusiasmo e das primeiras intenções, ainda imbuído das minhas paixões desequilibradas, extravasei pareceres particulares, nocivos para as referidas obras, que visavam a minha evolução espiritual e, também, a daqueles que tivessem a oportunidade de lê-las...

        <<<...Perdoem- me a ousadia da assertiva, porém, sei o que digo e o quanto tem-me custado esta modificação consciente e sacrificada.
        O Conde Rochester, hoje, deplora sentimentos injustos por serem
        anti-cristãos e , neste diapasão, usa o pensamento, a pena e o papel, para glorificar o bem e o belo, onde quer que estejam, abominando toda forma de discriminação e de preconceitos, mormente o funesto racismo.
        Já me enterneço mais, amo com mais liberdade, livre das peias antigas que algemavam os meus sentimentos às cadeias da vaidade e do orgulho, vícios morais que me têm feito sofrer duramente... .>>>

        ...Os prejuízos das obras editadas no século passado devem ser analisados à luz da razão esclarecida, diante das mudanças sociais evolutivas que o futuro-presente nos requisitou, requisita e requisitará, cada vez mais.

        É me difícil acreditar que um espírito do porte deste escritor tendo a
        prerrogativa de abordar incógnitos protagonistas (encarnados) de segmentos históricos da humanidade e de certa forma pressioná-los para colher depoimentos para maior veracidade dos episódios, não fosse amparado por mentores do Mundo Espiritual e viesse cometer os desatinos que agora tenta se redimir!!? A "astralcomunicaçã o" para livros, mensagens, idéias, formação de opinião etc, não tem espaço para estagiários.. . ooops, amadores, principalmente naquele início de seculo.

        Tenho minha opinião formada e até o momento não derrubada para significar uma reformulação minha e quiçá também um retratação, de que a propaganda anti-semita constante nos livros O Laço da Morte e A Ira Divina, foram inseridos por editoras pro-czaristas pré-revolução de 1917.

        <<<Se a razão e o coração estivessem trabalhando juntos, à luz do Evangelho de Jesus, sem dúvida não estaríamos passando por este constrangimento, porque primaríamos pelas verdades de Deus e não pelos enganos morais destes ou daqueles que já passaram por este planeta ainda tão imperfeito.
        Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
        "Antes rejeitas dez verdades que aceitar uma mentira."
        "Aqui e agora", nesta conscientizaçã o maior da minha enorme responsabilidade e, na retratação sincera que ora assumo diante de Jesus e do público, corajosa e humildemente, falece minhas obras literárias, porque o livre-arbítrio daqueles que respondem pelas edições das mesmas é sagrado e intransferível, bem assim como os louros ou prejuízos decorrentes. >>>

        A mim me parece que o espírito do Conde engajou-se em algum movimento
        religioso no plano Astral e me parece ser o Espiritismo. É o "fora da
        religião não há salvação", e precisa ser o Evangelho do Mestre Jesus, nesta visão.

        Bem para não alongar muito e repetir o que opinei em mensagens anteriores, vamos ficar com:

        Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
        "Antes rejeita dez verdades que aceitar uma mentira."

        Eu rejeito esta "verdade" da remissão de Rochester por obras veiculadas post mortem. ;-)

        Vale lembrar que, acima de qualquer autor, em qualquer época ou
        circunstância, deve-se primar pela divulgação, tão somente, das verdades que elevam e esclarecem de fato, segundo os códigos da Grande Lei.

        Neste propósito, as minhas obras, neste século e numa nova fase ("A Força do Amor", "O Paradigma da Humanidade"e outras que estão sendo psicografadas pela mesma médium), refletem a minha nova disposição e objetivos atuais.
        No "Orai e Vigiai"estarei, continuamente, trilhando estes caminhos
        redentores, junto aos afetos do meu coração e, entre estes, os meus
        queridos leitores.
        Profundamente grato àqueles que me entenderem, abraço-os fraternalmente, esperando a compreensão e a indulgência daqueles que, injustamente, foram atingidos pelas minhas inverdades. Diante destes, inclino-me, humildemente, e peço-lhes perdão.
        Rogando aos céus que o Anjo que vela por nós continue nos
        amparando e iluminando sempre, fica aqui meu apreço e consideração.
        Shallon! (Shalom significa Paz como também Perdão/waldir)
        Rochester
        São Paulo, 14 de abril de 2000.

        Waldir
        Discernimento
        oliveirawaldir@ hotmail.com

        "Há uma Luz que brilha mais que bilhões de sóis juntos.
        É a Essência da Alma.
        Essa é a Luz que brilha em nossos corações"

      • REGINA CLARA MALUF PALOMBO
        Caro Waldir       Me consterna verificar, que , o resultado de tanto trabalho e pesquisas, sejam colocados de forma tão abjeta e incoerente.Pense bem
        Mensagem 3 de 7 , 30 de ago de 2009
        Exibir fonte
        • 0 Anexo
          Caro Waldir

                Me consterna verificar, que , o resultado de tanto trabalho e pesquisas, sejam colocados de forma tão abjeta e incoerente.Pense bem sobre isso.

                                                                  Assim seja    Regina yodvall

          --- Em dom, 30/8/09, Zuélya <zuelya@...> escreveu:

          De: Zuélya <zuelya@...>
          Assunto: Re: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA
          Para: jwrochester@...
          Data: Domingo, 30 de Agosto de 2009, 10:38

           

          Waldir.
          Obrigada por atender o meu pedido.
          Externo a minha opiniao pessoal:
          Realmente é um texto mediocre e piegas, sem eira nem beira.
           
          Zuélya
           

          Sent: Sunday, August 30, 2009 2:07 PM
          Subject: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

           

          O texto da Arandi está entre <<< >>> e a seguir o que comentei na época.

          http://br.groups. yahoo.com/ group/jwrocheste r/message/ 1232

          RETRATAÇÃO
          Que o Senhor Jesus nos abençoe!
          Caros irmãos e leitores amigos,
          <<<Eu, Conde Rochester, aqui estou, consternado, mas decidido a dizer-vos tão somente a verdade.>>>

          ***Consternado = profundamente triste, coração angustiado, dolorido, ânimo abatido, prostrado pela dor, desalentado, desolado, profundamente aflito.

          Decidido a dizer a verdade nada mais que a verdade... juro!

          Nesse estado psíquico não se consegue fazer nada, nem pensar em coisas boas, muito menos escrever. Tanto é que colocou em dúvida os escritos anteriores.
          Um exagero para este texto.

          <<<Sinto a alma dolorida e angustiado o coração, consternado ao relembrar antigos conceitos que jà não fazem parte dos meus veros sentimentos, sendo eu, hoje, o resultado de uma transformação sofrida, graças a Deus.

          Nas sendas espinhosas das passadas existências, quase sempre acicatado pela dor e pela revolta; na desorientação de mim mesmo, enveredando por ínvios caminhos, tortuosos e altamente cobradores, muitas vezes, reagi de maneira anti-cristã.
          Defendendo aquilo que julgava ser ou ter, feri muitos irmãos de jornada, da forma mais abjeta possível.
          Tendo conservado em mim o ódio e o desprezo a determinadas raças,
          apontei-lhes, duramente, suas nuances atávicas, na intenção declarada de denegri-las, se bem que eu também exibia as minhas, tão merecedoras de censura quanto, como sói acontecer com todos nós, seres humanos.>>>

          Até aqui, qualquer aluno repetente deste "planeta escola" experimentou este estado de consternação, para usar a mesmo significado.

          <<<De todas as armas que este mundo conhece, o pensamento concretizado é das piores e das mais fulminantes. E, neste sentido, o talento que exerço há tantos séculos coloriu e convenceu aqueles que, tão imperfeitos quanto eu, aceitaram tais abusos literários.>> >

          Se, fala-se aqui aos abusos literários do séc. XVII, aceita-se, ou melhor, aceito, porém, não embarquei em tais abusos literários ;-).

          <<<Cegos pelo orgulho e pela vaidade, estigmatizei até a mim mesmo, nas personagens desta ou daquela época, oriundas das raças discriminadas. >>>

          A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Afinal, estamos remetendo a épocas recuadas, nas quais falava-se pouco, ou quase nada, em justiça e fraternidade, exercitando- as menos ainda.
          <<<Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie.
          Aquilo que hoje é censurado e considerado inadmissível, no passado fazia parte dos hábitos e costumes da maioria.
          A cada regresso para o Mundo Espitirual e a cada nova oportunidade de
          reencarnação, eu tomava decisões, certo de que poderia emendar-me.
          Mas...como sempre fazia, guindava-me ao poder e, uma vez nele, externava as minhas imperfeições espirituais.
          Deprimido pela constatação aflitiva das dificuldades morais que carregava, difíceis de alijar, requisitei à Misericórdia Divina a sagrada oportunidade de narrar as múltiplas experiências ao longo das diversas civilizações; nos passados que retratavam as minhas vidas e as vidas daqueles que comigo caminhavam; no afã de penitenciar- me, enquanto esclarecia o público, ilustradamente, sobre a grande lei de ação e reação, à qual estamos todos submetidos.
          Desta forma, atirei-me, sem cessar, às épicas narrativas, revivendo muitas existências que tornaram-se conhecidas e apreciadas pelos meus caros leitores.>>>

          A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie. <( a defesa dos dizeres do texto acima está feita aqui "por ele mesmo"... deveria ele ter torcido a história?)>
          ............ ........
          Mas...oh! Deus, apesar do grande entusiasmo e das primeiras intenções, ainda imbuído das minhas paixões desequilibradas, extravasei pareceres particulares, nocivos para as referidas obras, que visavam a minha evolução espiritual e, também, a daqueles que tivessem a oportunidade de lê-las...

          <<<...Perdoem- me a ousadia da assertiva, porém, sei o que digo e o quanto tem-me custado esta modificação consciente e sacrificada.
          O Conde Rochester, hoje, deplora sentimentos injustos por serem
          anti-cristãos e , neste diapasão, usa o pensamento, a pena e o papel, para glorificar o bem e o belo, onde quer que estejam, abominando toda forma de discriminação e de preconceitos, mormente o funesto racismo.
          Já me enterneço mais, amo com mais liberdade, livre das peias antigas que algemavam os meus sentimentos às cadeias da vaidade e do orgulho, vícios morais que me têm feito sofrer duramente... .>>>

          ...Os prejuízos das obras editadas no século passado devem ser analisados à luz da razão esclarecida, diante das mudanças sociais evolutivas que o futuro-presente nos requisitou, requisita e requisitará, cada vez mais.

          É me difícil acreditar que um espírito do porte deste escritor tendo a
          prerrogativa de abordar incógnitos protagonistas (encarnados) de segmentos históricos da humanidade e de certa forma pressioná-los para colher depoimentos para maior veracidade dos episódios, não fosse amparado por mentores do Mundo Espiritual e viesse cometer os desatinos que agora tenta se redimir!!? A "astralcomunicaçã o" para livros, mensagens, idéias, formação de opinião etc, não tem espaço para estagiários.. . ooops, amadores, principalmente naquele início de seculo.

          Tenho minha opinião formada e até o momento não derrubada para significar uma reformulação minha e quiçá também um retratação, de que a propaganda anti-semita constante nos livros O Laço da Morte e A Ira Divina, foram inseridos por editoras pro-czaristas pré-revolução de 1917.

          <<<Se a razão e o coração estivessem trabalhando juntos, à luz do Evangelho de Jesus, sem dúvida não estaríamos passando por este constrangimento, porque primaríamos pelas verdades de Deus e não pelos enganos morais destes ou daqueles que já passaram por este planeta ainda tão imperfeito.
          Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
          "Antes rejeitas dez verdades que aceitar uma mentira."
          "Aqui e agora", nesta conscientizaçã o maior da minha enorme responsabilidade e, na retratação sincera que ora assumo diante de Jesus e do público, corajosa e humildemente, falece minhas obras literárias, porque o livre-arbítrio daqueles que respondem pelas edições das mesmas é sagrado e intransferível, bem assim como os louros ou prejuízos decorrentes. >>>

          A mim me parece que o espírito do Conde engajou-se em algum movimento
          religioso no plano Astral e me parece ser o Espiritismo. É o "fora da
          religião não há salvação", e precisa ser o Evangelho do Mestre Jesus, nesta visão.

          Bem para não alongar muito e repetir o que opinei em mensagens anteriores, vamos ficar com:

          Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
          "Antes rejeita dez verdades que aceitar uma mentira."

          Eu rejeito esta "verdade" da remissão de Rochester por obras veiculadas post mortem. ;-)

          Vale lembrar que, acima de qualquer autor, em qualquer época ou
          circunstância, deve-se primar pela divulgação, tão somente, das verdades que elevam e esclarecem de fato, segundo os códigos da Grande Lei.

          Neste propósito, as minhas obras, neste século e numa nova fase ("A Força do Amor", "O Paradigma da Humanidade"e outras que estão sendo psicografadas pela mesma médium), refletem a minha nova disposição e objetivos atuais.
          No "Orai e Vigiai"estarei, continuamente, trilhando estes caminhos
          redentores, junto aos afetos do meu coração e, entre estes, os meus
          queridos leitores.
          Profundamente grato àqueles que me entenderem, abraço-os fraternalmente, esperando a compreensão e a indulgência daqueles que, injustamente, foram atingidos pelas minhas inverdades. Diante destes, inclino-me, humildemente, e peço-lhes perdão.
          Rogando aos céus que o Anjo que vela por nós continue nos
          amparando e iluminando sempre, fica aqui meu apreço e consideração.
          Shallon! (Shalom significa Paz como também Perdão/waldir)
          Rochester
          São Paulo, 14 de abril de 2000.

          Waldir
          Discernimento
          oliveirawaldir@ hotmail.com

          "Há uma Luz que brilha mais que bilhões de sóis juntos.
          É a Essência da Alma.
          Essa é a Luz que brilha em nossos corações"



          Veja quais são os assuntos do momento no Yahoo! + Buscados: Top 10 - Celebridades - Música - Esportes
        • elisangela cruz bento
          Estou passada com essa mea culpa absurda, nem vou tecer comentários porque se o fazer, terei que reencarnar mais 100 vezes. Eℓiѕangeℓa Cяuz
          Mensagem 4 de 7 , 31 de ago de 2009
          Exibir fonte
          • 0 Anexo
            Estou passada com essa "mea culpa" absurda, nem vou tecer comentários porque se o fazer, terei que reencarnar mais  100 vezes.


             

            Eℓiѕangeℓa Cяuz Bento®♪♥

            Blog: http://eli-brazil.blogspot.com/

            Twitter:www.twitter.com/elibrazil

                  httph

            "O inicio da sabedoria é a admissão da  
            própria ignorância. Todo o meu saber consiste
            em saber, que nada sei"

            13 8802 3375/91438757




             

            To: jwrochester@...
            From: oliveirawaldir@...
            Date: Sun, 30 Aug 2009 12:07:54 +0000
            Subject: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

             
            O texto da Arandi está entre <<< >>> e a seguir o que comentei na época.

            http://br.groups. yahoo.com/ group/jwrocheste r/message/ 1232

            RETRATAÇÃO
            Que o Senhor Jesus nos abençoe!
            Caros irmãos e leitores amigos,
            <<<Eu, Conde Rochester, aqui estou, consternado, mas decidido a dizer-vos tão somente a verdade.>>>

            ***Consternado = profundamente triste, coração angustiado, dolorido, ânimo abatido, prostrado pela dor, desalentado, desolado, profundamente aflito.

            Decidido a dizer a verdade nada mais que a verdade... juro!

            Nesse estado psíquico não se consegue fazer nada, nem pensar em coisas boas, muito menos escrever. Tanto é que colocou em dúvida os escritos anteriores.
            Um exagero para este texto.

            <<<Sinto a alma dolorida e angustiado o coração, consternado ao relembrar antigos conceitos que jà não fazem parte dos meus veros sentimentos, sendo eu, hoje, o resultado de uma transformação sofrida, graças a Deus.

            Nas sendas espinhosas das passadas existências, quase sempre acicatado pela dor e pela revolta; na desorientação de mim mesmo, enveredando por ínvios caminhos, tortuosos e altamente cobradores, muitas vezes, reagi de maneira anti-cristã.
            Defendendo aquilo que julgava ser ou ter, feri muitos irmãos de jornada, da forma mais abjeta possível.
            Tendo conservado em mim o ódio e o desprezo a determinadas raças,
            apontei-lhes, duramente, suas nuances atávicas, na intenção declarada de denegri-las, se bem que eu também exibia as minhas, tão merecedoras de censura quanto, como sói acontecer com todos nós, seres humanos.>>>

            Até aqui, qualquer aluno repetente deste "planeta escola" experimentou este estado de consternação, para usar a mesmo significado.

            <<<De todas as armas que este mundo conhece, o pensamento concretizado é das piores e das mais fulminantes. E, neste sentido, o talento que exerço há tantos séculos coloriu e convenceu aqueles que, tão imperfeitos quanto eu, aceitaram tais abusos literários.>> >

            Se, fala-se aqui aos abusos literários do séc. XVII, aceita-se, ou melhor, aceito, porém, não embarquei em tais abusos literários ;-).

            <<<Cegos pelo orgulho e pela vaidade, estigmatizei até a mim mesmo, nas personagens desta ou daquela época, oriundas das raças discriminadas. >>>

            A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Afinal, estamos remetendo a épocas recuadas, nas quais falava-se pouco, ou quase nada, em justiça e fraternidade, exercitando- as menos ainda.
            <<<Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie.
            Aquilo que hoje é censurado e considerado inadmissível, no passado fazia parte dos hábitos e costumes da maioria.
            A cada regresso para o Mundo Espitirual e a cada nova oportunidade de
            reencarnação, eu tomava decisões, certo de que poderia emendar-me.
            Mas...como sempre fazia, guindava-me ao poder e, uma vez nele, externava as minhas imperfeições espirituais.
            Deprimido pela constatação aflitiva das dificuldades morais que carregava, difíceis de alijar, requisitei à Misericórdia Divina a sagrada oportunidade de narrar as múltiplas experiências ao longo das diversas civilizações; nos passados que retratavam as minhas vidas e as vidas daqueles que comigo caminhavam; no afã de penitenciar- me, enquanto esclarecia o público, ilustradamente, sobre a grande lei de ação e reação, à qual estamos todos submetidos.
            Desta forma, atirei-me, sem cessar, às épicas narrativas, revivendo muitas existências que tornaram-se conhecidas e apreciadas pelos meus caros leitores.>>>

            A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie. <( a defesa dos dizeres do texto acima está feita aqui "por ele mesmo"... deveria ele ter torcido a história?)>
            ............ ........
            Mas...oh! Deus, apesar do grande entusiasmo e das primeiras intenções, ainda imbuído das minhas paixões desequilibradas, extravasei pareceres particulares, nocivos para as referidas obras, que visavam a minha evolução espiritual e, também, a daqueles que tivessem a oportunidade de lê-las...

            <<<...Perdoem- me a ousadia da assertiva, porém, sei o que digo e o quanto tem-me custado esta modificação consciente e sacrificada.
            O Conde Rochester, hoje, deplora sentimentos injustos por serem
            anti-cristãos e , neste diapasão, usa o pensamento, a pena e o papel, para glorificar o bem e o belo, onde quer que estejam, abominando toda forma de discriminação e de preconceitos, mormente o funesto racismo.
            Já me enterneço mais, amo com mais liberdade, livre das peias antigas que algemavam os meus sentimentos às cadeias da vaidade e do orgulho, vícios morais que me têm feito sofrer duramente... .>>>

            ...Os prejuízos das obras editadas no século passado devem ser analisados à luz da razão esclarecida, diante das mudanças sociais evolutivas que o futuro-presente nos requisitou, requisita e requisitará, cada vez mais.

            É me difícil acreditar que um espírito do porte deste escritor tendo a
            prerrogativa de abordar incógnitos protagonistas (encarnados) de segmentos históricos da humanidade e de certa forma pressioná-los para colher depoimentos para maior veracidade dos episódios, não fosse amparado por mentores do Mundo Espiritual e viesse cometer os desatinos que agora tenta se redimir!!? A "astralcomunicaçã o" para livros, mensagens, idéias, formação de opinião etc, não tem espaço para estagiários.. . ooops, amadores, principalmente naquele início de seculo.

            Tenho minha opinião formada e até o momento não derrubada para significar uma reformulação minha e quiçá também um retratação, de que a propaganda anti-semita constante nos livros O Laço da Morte e A Ira Divina, foram inseridos por editoras pro-czaristas pré-revolução de 1917.

            <<<Se a razão e o coração estivessem trabalhando juntos, à luz do Evangelho de Jesus, sem dúvida não estaríamos passando por este constrangimento, porque primaríamos pelas verdades de Deus e não pelos enganos morais destes ou daqueles que já passaram por este planeta ainda tão imperfeito.
            Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
            "Antes rejeitas dez verdades que aceitar uma mentira."
            "Aqui e agora", nesta conscientizaçã o maior da minha enorme responsabilidade e, na retratação sincera que ora assumo diante de Jesus e do público, corajosa e humildemente, falece minhas obras literárias, porque o livre-arbítrio daqueles que respondem pelas edições das mesmas é sagrado e intransferível, bem assim como os louros ou prejuízos decorrentes. >>>

            A mim me parece que o espírito do Conde engajou-se em algum movimento
            religioso no plano Astral e me parece ser o Espiritismo. É o "fora da
            religião não há salvação", e precisa ser o Evangelho do Mestre Jesus, nesta visão.

            Bem para não alongar muito e repetir o que opinei em mensagens anteriores, vamos ficar com:

            Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
            "Antes rejeita dez verdades que aceitar uma mentira."

            Eu rejeito esta "verdade" da remissão de Rochester por obras veiculadas post mortem. ;-)

            Vale lembrar que, acima de qualquer autor, em qualquer época ou
            circunstância, deve-se primar pela divulgação, tão somente, das verdades que elevam e esclarecem de fato, segundo os códigos da Grande Lei.

            Neste propósito, as minhas obras, neste século e numa nova fase ("A Força do Amor", "O Paradigma da Humanidade"e outras que estão sendo psicografadas pela mesma médium), refletem a minha nova disposição e objetivos atuais.
            No "Orai e Vigiai"estarei, continuamente, trilhando estes caminhos
            redentores, junto aos afetos do meu coração e, entre estes, os meus
            queridos leitores.
            Profundamente grato àqueles que me entenderem, abraço-os fraternalmente, esperando a compreensão e a indulgência daqueles que, injustamente, foram atingidos pelas minhas inverdades. Diante destes, inclino-me, humildemente, e peço-lhes perdão.
            Rogando aos céus que o Anjo que vela por nós continue nos
            amparando e iluminando sempre, fica aqui meu apreço e consideração.
            Shallon! (Shalom significa Paz como também Perdão/waldir)
            Rochester
            São Paulo, 14 de abril de 2000.

            Waldir
            Discernimento
            oliveirawaldir@ hotmail.com

            "Há uma Luz que brilha mais que bilhões de sóis juntos.
            É a Essência da Alma.
            Essa é a Luz que brilha em nossos corações"




            Você sabia que pode utilizar o Messenger de qualquer tipo de celular? Saiba mais.
          • Marcos Elias
            Amiga... É fácil demais fazer uma separação entre os sensatos e os que crêem em tudo, menos naquilo que é mais coerente e condiz com a realidade. Pessoas
            Mensagem 5 de 7 , 31 de ago de 2009
            Exibir fonte
            • 0 Anexo
              Amiga...
               
              É fácil demais fazer uma separação entre os sensatos e os que crêem em tudo, menos naquilo que é mais coerente e condiz com a realidade. Pessoas se apresentam como profundos conhecedores ou até donos de Rochester e de seus livros, mas se traem ao assinarem embaixo textos como esta retratação de Rochester. Rochester se retratar? Pedir desculpas a leitores? a leitores? leitores? Se arrepender de um tão árduo trabalho seu?
               
              Eu poderia apontar quase inúmeras contradições entre aquilo que dizem estes livros de Arandi e Gertrudes e o que dizem seus defensores e aquilo que está nas obras de Wera, pela pena de Rochester, mas isso sempre me deixa como o homem mau, o verdugo da história e os feridos no orgulho ou que lucram com estes livros ou ainda que trabalham para estas editoras e que por isso sustentam suas famílias graças ao emprego ali mantido, se postam como bons demais, caridosos e defensores do Bem, da Doutrina Espírita e isso é a doença que se alastrou no meio espírita entre seus adeptos tão estudiosos...
               
              Não nos vinculamos a casas espíritas, muito menos à FEB, porque vemos a hipocrisia e falsa humildade instalada nestes meios e por humildade não devemos entender CALAR-SE, ACEITAR TUDO, CONCORDAR...
               
              Minha antiga relação com Rochester não me permite defendê-lo e ele próprio é forte demais para precisar que o defendam e mesmo sendo ele moralmente frágil, é nítida a sua força espiritual e impetuosidade. Não estou surpreso com este texto de uma suposta retratação de Rochester e isso apenas me confirma o que digo há anos sobre Rochester, Wera, J. Mendonça, Arandi, Gertrudes, eu e meu passado remoto...
               
              Parece que as pessoas não estão convencidas, mas querem ser convencidas a pensarem diferente sobre Rochester e suas obras, mas pelo visto décadas irão passar e os assuntos serão os mesmos... Os depoimentos pessoais de Tibérius, Rochester e Wera, nos livros do século XIX já dizem tanto, mas desviaram-se disso e criaram um outro mundo sobre o que escreveu Rochester, conforme as impressões tidas por cada leitor e por uma afinidade de sentimentos, ideias e moral, criou-se no ar, no ambiente astral uma egrégora malsã que contamina e impede cada vez mais uma visão mais acertada do que realmente existe e do que ditamos nos livros...
               
              As pessoas se perdem, mas acham que estão chegando próximo, quando examinam livros e dão ouvidos demais a fofocas espíritas. Creio que os romances espíritas são responsáveis por estes desvios de condultas, pois tais romances transformam uns em santos demais e outros em demônios demais e os bons sempre estão sofridos e chorosos, pregando o Bem e qualquer um que falar algo diferente, é tido por vilão e trouxeram isso para a nossa realidade terrena...
               
              J.Mendonça foi transformado em santo, e até virou Horemseb e Ludwig II, pelos espíritas estudiosos e empolgados e duas médiuns que dizem psicografar Rochester são as mártires, vítimas da incompreensão de ignorantes leitores, enquanto Rochester volta e arrependido pede desculpas, perdão e volta atrás de tudo que escreveu... Que teatro é este?
               
              O mal não está nestas duas médiuns, nem nas editoras e em seus colaboradores, mas sim em quem alimenta a isso tudo: os leitores, os espíritas! Sei que o trabalho e vida destas médiuns é duro e exige muito, qual pesado fardo, mas em tudo exige-se responsabilidade, bom senso e se interesses pessoais são colocados acima da verdade, então toda a obra é nula, por prejudicar o avanço de novas obras...
               
              Já conheci quatro Wera Krijanowskaia reencarnadas no Brasil, três Horemseb e dois Rochester e um motam de gente que diz escrever mensagens de Rochester, sem falar das muitas mulheres que me procuraram, dizendo que me reconhecem de outras vidas e que foram minhas vítimas, quando Tibérius ou Horemseb...
               
               
              Esta egrégora malsã formada, como já disse, pela união de mentes que sonham e desejam as mesmas coisas, quando se trata de Rochester e seus livros, atua como densa nuvem negra e cinza, que impede ou retarda o nascer ou o raiar de obras que esclareçam as almas e espíritos oportunistas dão aos encarnados aquilo que eles desejam e tanto pedem: livros que levam a assinatura de Rochester, nome adorado, idolatrado e bastante aceito... Mas aos poucos, estes atritos de opiniões poderão acordar um grupo específico de pessoas, todas ligadas ao mesmo passado...
               
               
               
               
               
              ass. Colchis, Mago da Luz!

              To: jwrochester@...
              From: eli-brazil@...
              Date: Mon, 31 Aug 2009 09:31:47 -0300
              Subject: RE: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

               
              Estou passada com essa "mea culpa" absurda, nem vou tecer comentários porque se o fazer, terei que reencarnar mais  100 vezes.


               

              Eℓiѕangeℓa Cяuz Bento®♪♥

              Blog: http://eli-brazil. blogspot. com/

              Twitter:www.twitter. com/elibrazil

                    httph

              "O inicio da sabedoria é a admissão da  
              própria ignorância. Todo o meu saber consiste
              em saber, que nada sei"

              13 8802 3375/91438757




               

              To: jwrochester@ yahoogrupos. com.br
              From: oliveirawaldir@ hotmail.com
              Date: Sun, 30 Aug 2009 12:07:54 +0000
              Subject: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

               
              O texto da Arandi está entre <<< >>> e a seguir o que comentei na época.

              http://br.groups. yahoo.com/ group/jwrocheste r/message/ 1232

              RETRATAÇÃO
              Que o Senhor Jesus nos abençoe!
              Caros irmãos e leitores amigos,
              <<<Eu, Conde Rochester, aqui estou, consternado, mas decidido a dizer-vos tão somente a verdade.>>>

              ***Consternado = profundamente triste, coração angustiado, dolorido, ânimo abatido, prostrado pela dor, desalentado, desolado, profundamente aflito.

              Decidido a dizer a verdade nada mais que a verdade... juro!

              Nesse estado psíquico não se consegue fazer nada, nem pensar em coisas boas, muito menos escrever. Tanto é que colocou em dúvida os escritos anteriores.
              Um exagero para este texto.

              <<<Sinto a alma dolorida e angustiado o coração, consternado ao relembrar antigos conceitos que jà não fazem parte dos meus veros sentimentos, sendo eu, hoje, o resultado de uma transformação sofrida, graças a Deus.

              Nas sendas espinhosas das passadas existências, quase sempre acicatado pela dor e pela revolta; na desorientação de mim mesmo, enveredando por ínvios caminhos, tortuosos e altamente cobradores, muitas vezes, reagi de maneira anti-cristã.
              Defendendo aquilo que julgava ser ou ter, feri muitos irmãos de jornada, da forma mais abjeta possível.
              Tendo conservado em mim o ódio e o desprezo a determinadas raças,
              apontei-lhes, duramente, suas nuances atávicas, na intenção declarada de denegri-las, se bem que eu também exibia as minhas, tão merecedoras de censura quanto, como sói acontecer com todos nós, seres humanos.>>>

              Até aqui, qualquer aluno repetente deste "planeta escola" experimentou este estado de consternação, para usar a mesmo significado.

              <<<De todas as armas que este mundo conhece, o pensamento concretizado é das piores e das mais fulminantes. E, neste sentido, o talento que exerço há tantos séculos coloriu e convenceu aqueles que, tão imperfeitos quanto eu, aceitaram tais abusos literários.>> >

              Se, fala-se aqui aos abusos literários do séc. XVII, aceita-se, ou melhor, aceito, porém, não embarquei em tais abusos literários ;-).

              <<<Cegos pelo orgulho e pela vaidade, estigmatizei até a mim mesmo, nas personagens desta ou daquela época, oriundas das raças discriminadas. >>>

              A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Afinal, estamos remetendo a épocas recuadas, nas quais falava-se pouco, ou quase nada, em justiça e fraternidade, exercitando- as menos ainda.
              <<<Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie.
              Aquilo que hoje é censurado e considerado inadmissível, no passado fazia parte dos hábitos e costumes da maioria.
              A cada regresso para o Mundo Espitirual e a cada nova oportunidade de
              reencarnação, eu tomava decisões, certo de que poderia emendar-me.
              Mas...como sempre fazia, guindava-me ao poder e, uma vez nele, externava as minhas imperfeições espirituais.
              Deprimido pela constatação aflitiva das dificuldades morais que carregava, difíceis de alijar, requisitei à Misericórdia Divina a sagrada oportunidade de narrar as múltiplas experiências ao longo das diversas civilizações; nos passados que retratavam as minhas vidas e as vidas daqueles que comigo caminhavam; no afã de penitenciar- me, enquanto esclarecia o público, ilustradamente, sobre a grande lei de ação e reação, à qual estamos todos submetidos.
              Desta forma, atirei-me, sem cessar, às épicas narrativas, revivendo muitas existências que tornaram-se conhecidas e apreciadas pelos meus caros leitores.>>>

              A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie. <( a defesa dos dizeres do texto acima está feita aqui "por ele mesmo"... deveria ele ter torcido a história?)>
              ............ ........
              Mas...oh! Deus, apesar do grande entusiasmo e das primeiras intenções, ainda imbuído das minhas paixões desequilibradas, extravasei pareceres particulares, nocivos para as referidas obras, que visavam a minha evolução espiritual e, também, a daqueles que tivessem a oportunidade de lê-las...

              <<<...Perdoem- me a ousadia da assertiva, porém, sei o que digo e o quanto tem-me custado esta modificação consciente e sacrificada.
              O Conde Rochester, hoje, deplora sentimentos injustos por serem
              anti-cristãos e , neste diapasão, usa o pensamento, a pena e o papel, para glorificar o bem e o belo, onde quer que estejam, abominando toda forma de discriminação e de preconceitos, mormente o funesto racismo.
              Já me enterneço mais, amo com mais liberdade, livre das peias antigas que algemavam os meus sentimentos às cadeias da vaidade e do orgulho, vícios morais que me têm feito sofrer duramente... .>>>

              ...Os prejuízos das obras editadas no século passado devem ser analisados à luz da razão esclarecida, diante das mudanças sociais evolutivas que o futuro-presente nos requisitou, requisita e requisitará, cada vez mais.

              É me difícil acreditar que um espírito do porte deste escritor tendo a
              prerrogativa de abordar incógnitos protagonistas (encarnados) de segmentos históricos da humanidade e de certa forma pressioná-los para colher depoimentos para maior veracidade dos episódios, não fosse amparado por mentores do Mundo Espiritual e viesse cometer os desatinos que agora tenta se redimir!!? A "astralcomunicaçã o" para livros, mensagens, idéias, formação de opinião etc, não tem espaço para estagiários.. . ooops, amadores, principalmente naquele início de seculo.

              Tenho minha opinião formada e até o momento não derrubada para significar uma reformulação minha e quiçá também um retratação, de que a propaganda anti-semita constante nos livros O Laço da Morte e A Ira Divina, foram inseridos por editoras pro-czaristas pré-revolução de 1917.

              <<<Se a razão e o coração estivessem trabalhando juntos, à luz do Evangelho de Jesus, sem dúvida não estaríamos passando por este constrangimento, porque primaríamos pelas verdades de Deus e não pelos enganos morais destes ou daqueles que já passaram por este planeta ainda tão imperfeito.
              Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
              "Antes rejeitas dez verdades que aceitar uma mentira."
              "Aqui e agora", nesta conscientizaçã o maior da minha enorme responsabilidade e, na retratação sincera que ora assumo diante de Jesus e do público, corajosa e humildemente, falece minhas obras literárias, porque o livre-arbítrio daqueles que respondem pelas edições das mesmas é sagrado e intransferível, bem assim como os louros ou prejuízos decorrentes. >>>

              A mim me parece que o espírito do Conde engajou-se em algum movimento
              religioso no plano Astral e me parece ser o Espiritismo. É o "fora da
              religião não há salvação", e precisa ser o Evangelho do Mestre Jesus, nesta visão.

              Bem para não alongar muito e repetir o que opinei em mensagens anteriores, vamos ficar com:

              Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
              "Antes rejeita dez verdades que aceitar uma mentira."

              Eu rejeito esta "verdade" da remissão de Rochester por obras veiculadas post mortem. ;-)

              Vale lembrar que, acima de qualquer autor, em qualquer época ou
              circunstância, deve-se primar pela divulgação, tão somente, das verdades que elevam e esclarecem de fato, segundo os códigos da Grande Lei.

              Neste propósito, as minhas obras, neste século e numa nova fase ("A Força do Amor", "O Paradigma da Humanidade"e outras que estão sendo psicografadas pela mesma médium), refletem a minha nova disposição e objetivos atuais.
              No "Orai e Vigiai"estarei, continuamente, trilhando estes caminhos
              redentores, junto aos afetos do meu coração e, entre estes, os meus
              queridos leitores.
              Profundamente grato àqueles que me entenderem, abraço-os fraternalmente, esperando a compreensão e a indulgência daqueles que, injustamente, foram atingidos pelas minhas inverdades. Diante destes, inclino-me, humildemente, e peço-lhes perdão.
              Rogando aos céus que o Anjo que vela por nós continue nos
              amparando e iluminando sempre, fica aqui meu apreço e consideração.
              Shallon! (Shalom significa Paz como também Perdão/waldir)
              Rochester
              São Paulo, 14 de abril de 2000.

              Waldir
              Discernimento
              oliveirawaldir@ hotmail.com

              "Há uma Luz que brilha mais que bilhões de sóis juntos.
              É a Essência da Alma.
              Essa é a Luz que brilha em nossos corações"




              Você sabia que pode utilizar o Messenger de qualquer tipo de celular? Saiba mais.



              Novo Internet Explorer 8: faça tudo com menos cliques. Baixe agora, é gratis!
            • Marcos Elias
              Digo ainda, mais uma vez, que não há elite, nem escolhidos ou favoritos de Rochester, mas sim, apenas devedores, almas comprometidas entre si e que devem
              Mensagem 6 de 7 , 31 de ago de 2009
              Exibir fonte
              • 0 Anexo
                Digo ainda, mais uma vez, que não há elite, nem escolhidos ou favoritos de Rochester, mas sim, apenas devedores, almas comprometidas entre si e que devem comparecer junto ao Tribunal Divino, mais uma vez e são poucos os que Rochester direciona sua atenção, quando opinam sobre ele e suas obras...


                Eu Sou Colchis, Mago da Luz!
                 
                 

                To: jwrochester@...
                From: marcosdesignergyn@...
                Date: Mon, 31 Aug 2009 15:02:35 +0000
                Subject: RE: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

                 
                Amiga...
                 
                É fácil demais fazer uma separação entre os sensatos e os que crêem em tudo, menos naquilo que é mais coerente e condiz com a realidade. Pessoas se apresentam como profundos conhecedores ou até donos de Rochester e de seus livros, mas se traem ao assinarem embaixo textos como esta retratação de Rochester. Rochester se retratar? Pedir desculpas a leitores? a leitores? leitores? Se arrepender de um tão árduo trabalho seu?
                 
                Eu poderia apontar quase inúmeras contradições entre aquilo que dizem estes livros de Arandi e Gertrudes e o que dizem seus defensores e aquilo que está nas obras de Wera, pela pena de Rochester, mas isso sempre me deixa como o homem mau, o verdugo da história e os feridos no orgulho ou que lucram com estes livros ou ainda que trabalham para estas editoras e que por isso sustentam suas famílias graças ao emprego ali mantido, se postam como bons demais, caridosos e defensores do Bem, da Doutrina Espírita e isso é a doença que se alastrou no meio espírita entre seus adeptos tão estudiosos.. .
                 
                Não nos vinculamos a casas espíritas, muito menos à FEB, porque vemos a hipocrisia e falsa humildade instalada nestes meios e por humildade não devemos entender CALAR-SE, ACEITAR TUDO, CONCORDAR...
                 
                Minha antiga relação com Rochester não me permite defendê-lo e ele próprio é forte demais para precisar que o defendam e mesmo sendo ele moralmente frágil, é nítida a sua força espiritual e impetuosidade. Não estou surpreso com este texto de uma suposta retratação de Rochester e isso apenas me confirma o que digo há anos sobre Rochester, Wera, J. Mendonça, Arandi, Gertrudes, eu e meu passado remoto...
                 
                Parece que as pessoas não estão convencidas, mas querem ser convencidas a pensarem diferente sobre Rochester e suas obras, mas pelo visto décadas irão passar e os assuntos serão os mesmos... Os depoimentos pessoais de Tibérius, Rochester e Wera, nos livros do século XIX já dizem tanto, mas desviaram-se disso e criaram um outro mundo sobre o que escreveu Rochester, conforme as impressões tidas por cada leitor e por uma afinidade de sentimentos, ideias e moral, criou-se no ar, no ambiente astral uma egrégora malsã que contamina e impede cada vez mais uma visão mais acertada do que realmente existe e do que ditamos nos livros...
                 
                As pessoas se perdem, mas acham que estão chegando próximo, quando examinam livros e dão ouvidos demais a fofocas espíritas. Creio que os romances espíritas são responsáveis por estes desvios de condultas, pois tais romances transformam uns em santos demais e outros em demônios demais e os bons sempre estão sofridos e chorosos, pregando o Bem e qualquer um que falar algo diferente, é tido por vilão e trouxeram isso para a nossa realidade terrena...
                 
                J.Mendonça foi transformado em santo, e até virou Horemseb e Ludwig II, pelos espíritas estudiosos e empolgados e duas médiuns que dizem psicografar Rochester são as mártires, vítimas da incompreensão de ignorantes leitores, enquanto Rochester volta e arrependido pede desculpas, perdão e volta atrás de tudo que escreveu... Que teatro é este?
                 
                O mal não está nestas duas médiuns, nem nas editoras e em seus colaboradores, mas sim em quem alimenta a isso tudo: os leitores, os espíritas! Sei que o trabalho e vida destas médiuns é duro e exige muito, qual pesado fardo, mas em tudo exige-se responsabilidade, bom senso e se interesses pessoais são colocados acima da verdade, então toda a obra é nula, por prejudicar o avanço de novas obras...
                 
                Já conheci quatro Wera Krijanowskaia reencarnadas no Brasil, três Horemseb e dois Rochester e um motam de gente que diz escrever mensagens de Rochester, sem falar das muitas mulheres que me procuraram, dizendo que me reconhecem de outras vidas e que foram minhas vítimas, quando Tibérius ou Horemseb...
                 
                 
                Esta egrégora malsã formada, como já disse, pela união de mentes que sonham e desejam as mesmas coisas, quando se trata de Rochester e seus livros, atua como densa nuvem negra e cinza, que impede ou retarda o nascer ou o raiar de obras que esclareçam as almas e espíritos oportunistas dão aos encarnados aquilo que eles desejam e tanto pedem: livros que levam a assinatura de Rochester, nome adorado, idolatrado e bastante aceito... Mas aos poucos, estes atritos de opiniões poderão acordar um grupo específico de pessoas, todas ligadas ao mesmo passado...
                 
                 
                 
                 
                 
                ass. Colchis, Mago da Luz!

                To: jwrochester@ yahoogrupos. com.br
                From: eli-brazil@hotmail. com
                Date: Mon, 31 Aug 2009 09:31:47 -0300
                Subject: RE: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

                 
                Estou passada com essa "mea culpa" absurda, nem vou tecer comentários porque se o fazer, terei que reencarnar mais  100 vezes.


                 

                Eℓiѕangeℓa Cяuz Bento®♪♥

                Blog: http://eli-brazil. blogspot. com/

                Twitter:www.twitter. com/elibrazil

                      httph

                "O inicio da sabedoria é a admissão da  
                própria ignorância. Todo o meu saber consiste
                em saber, que nada sei"

                13 8802 3375/91438757




                 

                To: jwrochester@ yahoogrupos. com.br
                From: oliveirawaldir@ hotmail.com
                Date: Sun, 30 Aug 2009 12:07:54 +0000
                Subject: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

                 
                O texto da Arandi está entre <<< >>> e a seguir o que comentei na época.

                http://br.groups. yahoo.com/ group/jwrocheste r/message/ 1232

                RETRATAÇÃO
                Que o Senhor Jesus nos abençoe!
                Caros irmãos e leitores amigos,
                <<<Eu, Conde Rochester, aqui estou, consternado, mas decidido a dizer-vos tão somente a verdade.>>>

                ***Consternado = profundamente triste, coração angustiado, dolorido, ânimo abatido, prostrado pela dor, desalentado, desolado, profundamente aflito.

                Decidido a dizer a verdade nada mais que a verdade... juro!

                Nesse estado psíquico não se consegue fazer nada, nem pensar em coisas boas, muito menos escrever. Tanto é que colocou em dúvida os escritos anteriores.
                Um exagero para este texto.

                <<<Sinto a alma dolorida e angustiado o coração, consternado ao relembrar antigos conceitos que jà não fazem parte dos meus veros sentimentos, sendo eu, hoje, o resultado de uma transformação sofrida, graças a Deus.

                Nas sendas espinhosas das passadas existências, quase sempre acicatado pela dor e pela revolta; na desorientação de mim mesmo, enveredando por ínvios caminhos, tortuosos e altamente cobradores, muitas vezes, reagi de maneira anti-cristã.
                Defendendo aquilo que julgava ser ou ter, feri muitos irmãos de jornada, da forma mais abjeta possível.
                Tendo conservado em mim o ódio e o desprezo a determinadas raças,
                apontei-lhes, duramente, suas nuances atávicas, na intenção declarada de denegri-las, se bem que eu também exibia as minhas, tão merecedoras de censura quanto, como sói acontecer com todos nós, seres humanos.>>>

                Até aqui, qualquer aluno repetente deste "planeta escola" experimentou este estado de consternação, para usar a mesmo significado.

                <<<De todas as armas que este mundo conhece, o pensamento concretizado é das piores e das mais fulminantes. E, neste sentido, o talento que exerço há tantos séculos coloriu e convenceu aqueles que, tão imperfeitos quanto eu, aceitaram tais abusos literários.>> >

                Se, fala-se aqui aos abusos literários do séc. XVII, aceita-se, ou melhor, aceito, porém, não embarquei em tais abusos literários ;-).

                <<<Cegos pelo orgulho e pela vaidade, estigmatizei até a mim mesmo, nas personagens desta ou daquela época, oriundas das raças discriminadas. >>>

                A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Afinal, estamos remetendo a épocas recuadas, nas quais falava-se pouco, ou quase nada, em justiça e fraternidade, exercitando- as menos ainda.
                <<<Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie.
                Aquilo que hoje é censurado e considerado inadmissível, no passado fazia parte dos hábitos e costumes da maioria.
                A cada regresso para o Mundo Espitirual e a cada nova oportunidade de
                reencarnação, eu tomava decisões, certo de que poderia emendar-me.
                Mas...como sempre fazia, guindava-me ao poder e, uma vez nele, externava as minhas imperfeições espirituais.
                Deprimido pela constatação aflitiva das dificuldades morais que carregava, difíceis de alijar, requisitei à Misericórdia Divina a sagrada oportunidade de narrar as múltiplas experiências ao longo das diversas civilizações; nos passados que retratavam as minhas vidas e as vidas daqueles que comigo caminhavam; no afã de penitenciar- me, enquanto esclarecia o público, ilustradamente, sobre a grande lei de ação e reação, à qual estamos todos submetidos.
                Desta forma, atirei-me, sem cessar, às épicas narrativas, revivendo muitas existências que tornaram-se conhecidas e apreciadas pelos meus caros leitores.>>>

                A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie. <( a defesa dos dizeres do texto acima está feita aqui "por ele mesmo"... deveria ele ter torcido a história?)>
                ............ ........
                Mas...oh! Deus, apesar do grande entusiasmo e das primeiras intenções, ainda imbuído das minhas paixões desequilibradas, extravasei pareceres particulares, nocivos para as referidas obras, que visavam a minha evolução espiritual e, também, a daqueles que tivessem a oportunidade de lê-las...

                <<<...Perdoem- me a ousadia da assertiva, porém, sei o que digo e o quanto tem-me custado esta modificação consciente e sacrificada.
                O Conde Rochester, hoje, deplora sentimentos injustos por serem
                anti-cristãos e , neste diapasão, usa o pensamento, a pena e o papel, para glorificar o bem e o belo, onde quer que estejam, abominando toda forma de discriminação e de preconceitos, mormente o funesto racismo.
                Já me enterneço mais, amo com mais liberdade, livre das peias antigas que algemavam os meus sentimentos às cadeias da vaidade e do orgulho, vícios morais que me têm feito sofrer duramente... .>>>

                ...Os prejuízos das obras editadas no século passado devem ser analisados à luz da razão esclarecida, diante das mudanças sociais evolutivas que o futuro-presente nos requisitou, requisita e requisitará, cada vez mais.

                É me difícil acreditar que um espírito do porte deste escritor tendo a
                prerrogativa de abordar incógnitos protagonistas (encarnados) de segmentos históricos da humanidade e de certa forma pressioná-los para colher depoimentos para maior veracidade dos episódios, não fosse amparado por mentores do Mundo Espiritual e viesse cometer os desatinos que agora tenta se redimir!!? A "astralcomunicaçã o" para livros, mensagens, idéias, formação de opinião etc, não tem espaço para estagiários.. . ooops, amadores, principalmente naquele início de seculo.

                Tenho minha opinião formada e até o momento não derrubada para significar uma reformulação minha e quiçá também um retratação, de que a propaganda anti-semita constante nos livros O Laço da Morte e A Ira Divina, foram inseridos por editoras pro-czaristas pré-revolução de 1917.

                <<<Se a razão e o coração estivessem trabalhando juntos, à luz do Evangelho de Jesus, sem dúvida não estaríamos passando por este constrangimento, porque primaríamos pelas verdades de Deus e não pelos enganos morais destes ou daqueles que já passaram por este planeta ainda tão imperfeito.
                Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
                "Antes rejeitas dez verdades que aceitar uma mentira."
                "Aqui e agora", nesta conscientizaçã o maior da minha enorme responsabilidade e, na retratação sincera que ora assumo diante de Jesus e do público, corajosa e humildemente, falece minhas obras literárias, porque o livre-arbítrio daqueles que respondem pelas edições das mesmas é sagrado e intransferível, bem assim como os louros ou prejuízos decorrentes. >>>

                A mim me parece que o espírito do Conde engajou-se em algum movimento
                religioso no plano Astral e me parece ser o Espiritismo. É o "fora da
                religião não há salvação", e precisa ser o Evangelho do Mestre Jesus, nesta visão.

                Bem para não alongar muito e repetir o que opinei em mensagens anteriores, vamos ficar com:

                Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
                "Antes rejeita dez verdades que aceitar uma mentira."

                Eu rejeito esta "verdade" da remissão de Rochester por obras veiculadas post mortem. ;-)

                Vale lembrar que, acima de qualquer autor, em qualquer época ou
                circunstância, deve-se primar pela divulgação, tão somente, das verdades que elevam e esclarecem de fato, segundo os códigos da Grande Lei.

                Neste propósito, as minhas obras, neste século e numa nova fase ("A Força do Amor", "O Paradigma da Humanidade"e outras que estão sendo psicografadas pela mesma médium), refletem a minha nova disposição e objetivos atuais.
                No "Orai e Vigiai"estarei, continuamente, trilhando estes caminhos
                redentores, junto aos afetos do meu coração e, entre estes, os meus
                queridos leitores.
                Profundamente grato àqueles que me entenderem, abraço-os fraternalmente, esperando a compreensão e a indulgência daqueles que, injustamente, foram atingidos pelas minhas inverdades. Diante destes, inclino-me, humildemente, e peço-lhes perdão.
                Rogando aos céus que o Anjo que vela por nós continue nos
                amparando e iluminando sempre, fica aqui meu apreço e consideração.
                Shallon! (Shalom significa Paz como também Perdão/waldir)
                Rochester
                São Paulo, 14 de abril de 2000.

                Waldir
                Discernimento
                oliveirawaldir@ hotmail.com

                "Há uma Luz que brilha mais que bilhões de sóis juntos.
                É a Essência da Alma.
                Essa é a Luz que brilha em nossos corações"




                Você sabia que pode utilizar o Messenger de qualquer tipo de celular? Saiba mais.



                Novo Internet Explorer 8: faça tudo com menos cliques. Baixe agora, é gratis!



                Você sabia que pode utilizar o Messenger de qualquer tipo de celular? Saiba mais.
              • Zuélya
                Por favor senhor mago! Nos poupe da sua verborreia inutil! Zuélya From: Marcos Elias Sent: Monday, August 31, 2009 9:26 PM To: jwrochester@yahoogrupos.com.br
                Mensagem 7 de 7 , 31 de ago de 2009
                Exibir fonte
                • 0 Anexo
                  Por favor senhor mago!
                  Nos poupe da sua verborreia inutil!
                  Zuélya

                  Sent: Monday, August 31, 2009 9:26 PM
                  Subject: RE: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

                   

                  Digo ainda, mais uma vez, que não há elite, nem escolhidos ou favoritos de Rochester, mas sim, apenas devedores, almas comprometidas entre si e que devem comparecer junto ao Tribunal Divino, mais uma vez e são poucos os que Rochester direciona sua atenção, quando opinam sobre ele e suas obras...


                  Eu Sou Colchis, Mago da Luz!
                   
                   


                  To: jwrochester@ yahoogrupos. com.br
                  From: marcosdesignergyn@ hotmail.com
                  Date: Mon, 31 Aug 2009 15:02:35 +0000
                  Subject: RE: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

                   
                  Amiga...
                   
                  É fácil demais fazer uma separação entre os sensatos e os que crêem em tudo, menos naquilo que é mais coerente e condiz com a realidade. Pessoas se apresentam como profundos conhecedores ou até donos de Rochester e de seus livros, mas se traem ao assinarem embaixo textos como esta retratação de Rochester. Rochester se retratar? Pedir desculpas a leitores? a leitores? leitores? Se arrepender de um tão árduo trabalho seu?
                   
                  Eu poderia apontar quase inúmeras contradições entre aquilo que dizem estes livros de Arandi e Gertrudes e o que dizem seus defensores e aquilo que está nas obras de Wera, pela pena de Rochester, mas isso sempre me deixa como o homem mau, o verdugo da história e os feridos no orgulho ou que lucram com estes livros ou ainda que trabalham para estas editoras e que por isso sustentam suas famílias graças ao emprego ali mantido, se postam como bons demais, caridosos e defensores do Bem, da Doutrina Espírita e isso é a doença que se alastrou no meio espírita entre seus adeptos tão estudiosos.. .
                   
                  Não nos vinculamos a casas espíritas, muito menos à FEB, porque vemos a hipocrisia e falsa humildade instalada nestes meios e por humildade não devemos entender CALAR-SE, ACEITAR TUDO, CONCORDAR...
                   
                  Minha antiga relação com Rochester não me permite defendê-lo e ele próprio é forte demais para precisar que o defendam e mesmo sendo ele moralmente frágil, é nítida a sua força espiritual e impetuosidade. Não estou surpreso com este texto de uma suposta retratação de Rochester e isso apenas me confirma o que digo há anos sobre Rochester, Wera, J. Mendonça, Arandi, Gertrudes, eu e meu passado remoto...
                   
                  Parece que as pessoas não estão convencidas, mas querem ser convencidas a pensarem diferente sobre Rochester e suas obras, mas pelo visto décadas irão passar e os assuntos serão os mesmos... Os depoimentos pessoais de Tibérius, Rochester e Wera, nos livros do século XIX já dizem tanto, mas desviaram-se disso e criaram um outro mundo sobre o que escreveu Rochester, conforme as impressões tidas por cada leitor e por uma afinidade de sentimentos, ideias e moral, criou-se no ar, no ambiente astral uma egrégora malsã que contamina e impede cada vez mais uma visão mais acertada do que realmente existe e do que ditamos nos livros...
                   
                  As pessoas se perdem, mas acham que estão chegando próximo, quando examinam livros e dão ouvidos demais a fofocas espíritas. Creio que os romances espíritas são responsáveis por estes desvios de condultas, pois tais romances transformam uns em santos demais e outros em demônios demais e os bons sempre estão sofridos e chorosos, pregando o Bem e qualquer um que falar algo diferente, é tido por vilão e trouxeram isso para a nossa realidade terrena...
                   
                  J.Mendonça foi transformado em santo, e até virou Horemseb e Ludwig II, pelos espíritas estudiosos e empolgados e duas médiuns que dizem psicografar Rochester são as mártires, vítimas da incompreensão de ignorantes leitores, enquanto Rochester volta e arrependido pede desculpas, perdão e volta atrás de tudo que escreveu... Que teatro é este?
                   
                  O mal não está nestas duas médiuns, nem nas editoras e em seus colaboradores, mas sim em quem alimenta a isso tudo: os leitores, os espíritas! Sei que o trabalho e vida destas médiuns é duro e exige muito, qual pesado fardo, mas em tudo exige-se responsabilidade, bom senso e se interesses pessoais são colocados acima da verdade, então toda a obra é nula, por prejudicar o avanço de novas obras...
                   
                  Já conheci quatro Wera Krijanowskaia reencarnadas no Brasil, três Horemseb e dois Rochester e um motam de gente que diz escrever mensagens de Rochester, sem falar das muitas mulheres que me procuraram, dizendo que me reconhecem de outras vidas e que foram minhas vítimas, quando Tibérius ou Horemseb...
                   
                   
                  Esta egrégora malsã formada, como já disse, pela união de mentes que sonham e desejam as mesmas coisas, quando se trata de Rochester e seus livros, atua como densa nuvem negra e cinza, que impede ou retarda o nascer ou o raiar de obras que esclareçam as almas e espíritos oportunistas dão aos encarnados aquilo que eles desejam e tanto pedem: livros que levam a assinatura de Rochester, nome adorado, idolatrado e bastante aceito... Mas aos poucos, estes atritos de opiniões poderão acordar um grupo específico de pessoas, todas ligadas ao mesmo passado...
                   
                   
                   
                   
                   
                  ass. Colchis, Mago da Luz!

                  To: jwrochester@ yahoogrupos. com.br
                  From: eli-brazil@hotmail. com
                  Date: Mon, 31 Aug 2009 09:31:47 -0300
                  Subject: RE: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

                   
                  Estou passada com essa "mea culpa" absurda, nem vou tecer comentários porque se o fazer, terei que reencarnar mais  100 vezes.




                   

                  Eℓiѕangeℓa Cяuz Bento®♪♥

                  Blog: http://eli-brazil. blogspot. com/

                  Twitter:www.twitter. com/elibrazil

                        httph

                  "O inicio da sabedoria é a admissão da  
                  própria ignorância. Todo o meu saber consiste
                  em saber, que nada sei"

                  13 8802 3375/91438757




                   

                  To: jwrochester@ yahoogrupos. com.br
                  From: oliveirawaldir@ hotmail.com
                  Date: Sun, 30 Aug 2009 12:07:54 +0000
                  Subject: [Rochester] RETRATAÇÃO DE ROCHESTER - POR ARANDI GOMES TEIXEIRA

                   
                  O texto da Arandi está entre <<<
                  >>> e a seguir o que comentei na época.

                  http://br.groups. yahoo.com/ group/jwrocheste r/message/ 1232

                  RETRATAÇÃO
                  Que o Senhor Jesus nos abençoe!
                  Caros irmãos e leitores amigos,
                  <<<Eu, Conde Rochester, aqui estou, consternado, mas decidido a dizer-vos tão somente a verdade.>>>

                  ***Consternado = profundamente triste, coração angustiado, dolorido, ânimo abatido, prostrado pela dor, desalentado, desolado, profundamente aflito.

                  Decidido a dizer a verdade nada mais que a verdade... juro!

                  Nesse estado psíquico não se consegue fazer nada, nem pensar em coisas boas, muito menos escrever. Tanto é que colocou em dúvida os escritos anteriores.
                  Um exagero para este texto.

                  <<<Sinto a alma dolorida e angustiado o coração, consternado ao relembrar antigos conceitos que jà não fazem parte dos meus veros sentimentos, sendo eu, hoje, o resultado de uma transformação sofrida, graças a Deus.

                  Nas sendas espinhosas das passadas existências, quase sempre acicatado pela dor e pela revolta; na desorientação de mim mesmo, enveredando por ínvios caminhos, tortuosos e altamente cobradores, muitas vezes, reagi de maneira anti-cristã.
                  Defendendo aquilo que julgava ser ou ter, feri muitos irmãos de jornada, da forma mais abjeta possível.
                  Tendo conservado em mim o ódio e o desprezo a determinadas raças,
                  apontei-lhes, duramente, suas nuances atávicas, na intenção declarada de denegri-las, se bem que eu também exibia as minhas, tão merecedoras de censura quanto, como sói acontecer com todos nós, seres humanos.>>>

                  Até aqui, qualquer aluno repetente deste "planeta escola" experimentou este estado de consternação, para usar a mesmo significado.

                  <<<De todas as armas que este mundo conhece, o pensamento concretizado é das piores e das mais fulminantes. E, neste sentido, o talento que exerço há tantos séculos coloriu e convenceu aqueles que, tão imperfeitos quanto eu, aceitaram tais abusos literários.>> >

                  Se, fala-se aqui aos abusos literários do séc. XVII, aceita-se, ou melhor, aceito, porém, não embarquei em tais abusos literários ;-).

                  <<<Cegos pelo orgulho e pela vaidade, estigmatizei até a mim mesmo, nas personagens desta ou daquela época, oriundas das raças discriminadas. >>>

                  A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Afinal, estamos remetendo a épocas recuadas, nas quais falava-se pouco, ou quase nada, em justiça e fraternidade, exercitando- as menos ainda.
                  <<<Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie.
                  Aquilo que hoje é censurado e considerado inadmissível, no passado fazia parte dos hábitos e costumes da maioria.
                  A cada regresso para o Mundo Espitirual e a cada nova oportunidade de
                  reencarnação, eu tomava decisões, certo de que poderia emendar-me.
                  Mas...como sempre fazia, guindava-me ao poder e, uma vez nele, externava as minhas imperfeições espirituais.
                  Deprimido pela constatação aflitiva das dificuldades morais que carregava, difíceis de alijar, requisitei à Misericórdia Divina a sagrada oportunidade de narrar as múltiplas experiências ao longo das diversas civilizações; nos passados que retratavam as minhas vidas e as vidas daqueles que comigo caminhavam; no afã de penitenciar- me, enquanto esclarecia o público, ilustradamente, sobre a grande lei de ação e reação, à qual estamos todos submetidos.
                  Desta forma, atirei-me, sem cessar, às épicas narrativas, revivendo muitas existências que tornaram-se conhecidas e apreciadas pelos meus caros leitores.>>>

                  A meu favor, tenho apenas a desculpa das diferentes épocas, quando assim nos comportávamos, de modo geral. Os pensamentos eram eivados de muitos enganos, nos seus preconceitos e conseqüentes racismos e, estes, ainda hoje, sobrevivem num resquício de barbárie. <( a defesa dos dizeres do texto acima está feita aqui "por ele mesmo"... deveria ele ter torcido a história?)>
                  ............ ........
                  Mas...oh! Deus, apesar do grande entusiasmo e das primeiras intenções, ainda imbuído das minhas paixões desequilibradas, extravasei pareceres particulares, nocivos para as referidas obras, que visavam a minha evolução espiritual e, também, a daqueles que tivessem a oportunidade de lê-las...

                  <<<...Perdoem- me a ousadia da assertiva, porém, sei o que digo e o quanto tem-me custado esta modificação consciente e sacrificada.
                  O Conde Rochester, hoje, deplora sentimentos injustos por serem
                  anti-cristãos e , neste diapasão, usa o pensamento, a pena e o papel, para glorificar o bem e o belo, onde quer que estejam, abominando toda forma de discriminação e de preconceitos, mormente o funesto racismo.
                  Já me enterneço mais, amo com mais liberdade, livre das peias antigas que algemavam os meus sentimentos às cadeias da vaidade e do orgulho, vícios morais que me têm feito sofrer duramente... .>>>

                  ...Os prejuízos das obras editadas no século passado devem ser analisados à luz da razão esclarecida, diante das mudanças sociais evolutivas que o futuro-presente nos requisitou, requisita e requisitará, cada vez mais.

                  É me difícil acreditar que um espírito do porte deste escritor tendo a
                  prerrogativa de abordar incógnitos protagonistas (encarnados) de segmentos históricos da humanidade e de certa forma pressioná-los para colher depoimentos para maior veracidade dos episódios, não fosse amparado por mentores do Mundo Espiritual e viesse cometer os desatinos que agora tenta se redimir!!? A "astralcomunicaçã o" para livros, mensagens, idéias, formação de opinião etc, não tem espaço para estagiários.. . ooops, amadores, principalmente naquele início de seculo.

                  Tenho minha opinião formada e até o momento não derrubada para significar uma reformulação minha e quiçá também um retratação, de que a propaganda anti-semita constante nos livros O Laço da Morte e A Ira Divina, foram inseridos por editoras pro-czaristas pré-revolução de 1917.

                  <<<Se a razão e o coração estivessem trabalhando juntos, à luz do Evangelho de Jesus, sem dúvida não estaríamos passando por este constrangimento, porque primaríamos pelas verdades de Deus e não pelos enganos morais destes ou daqueles que já passaram por este planeta ainda tão imperfeito.
                  Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
                  "Antes rejeitas dez verdades que aceitar uma mentira."
                  "Aqui e agora", nesta conscientizaçã o maior da minha enorme responsabilidade e, na retratação sincera que ora assumo diante de Jesus e do público, corajosa e humildemente, falece minhas obras literárias, porque o livre-arbítrio daqueles que respondem pelas edições das mesmas é sagrado e intransferível, bem assim como os louros ou prejuízos decorrentes. >>>

                  A mim me parece que o espírito do Conde engajou-se em algum movimento
                  religioso no plano Astral e me parece ser o Espiritismo. É o "fora da
                  religião não há salvação", e precisa ser o Evangelho do Mestre Jesus, nesta visão.

                  Bem para não alongar muito e repetir o que opinei em mensagens anteriores, vamos ficar com:

                  Allan Kardec nos disse, muito sabiamente:
                  "Antes rejeita dez verdades que aceitar uma mentira."

                  Eu rejeito esta "verdade" da remissão de Rochester por obras veiculadas post mortem. ;-)

                  Vale lembrar que, acima de qualquer autor, em qualquer época ou
                  circunstância, deve-se primar pela divulgação, tão somente, das verdades que elevam e esclarecem de fato, segundo os códigos da Grande Lei.

                  Neste propósito, as minhas obras, neste século e numa nova fase ("A Força do Amor", "O Paradigma da Humanidade"e outras que estão sendo psicografadas pela mesma médium), refletem a minha nova disposição e objetivos atuais.
                  No "Orai e Vigiai"estarei, continuamente, trilhando estes caminhos
                  redentores, junto aos afetos do meu coração e, entre estes, os meus
                  queridos leitores.
                  Profundamente grato àqueles que me entenderem, abraço-os fraternalmente, esperando a compreensão e a indulgência daqueles que, injustamente, foram atingidos pelas minhas inverdades. Diante destes, inclino-me, humildemente, e peço-lhes perdão.
                  Rogando aos céus que o Anjo que vela por nós continue nos
                  amparando e iluminando sempre, fica aqui meu apreço e consideração.
                  Shallon! (Shalom significa Paz como também Perdão/waldir)
                  Rochester
                  São Paulo, 14 de abril de 2000.

                  Waldir
                  Discernimento
                  oliveirawaldir@ hotmail.com

                  "Há uma Luz que brilha mais que bilhões de sóis juntos.
                  É a Essência da Alma.
                  Essa é a Luz que brilha em nossos corações"




                  Você sabia que pode utilizar o Messenger de qualquer tipo de celular? Saiba mais.



                  Novo Internet Explorer 8: faça tudo com menos cliques. Baixe agora, é gratis!



                  Você sabia que pode utilizar o Messenger de qualquer tipo de celular? Saiba mais.

                Sua mensagem foi enviada com êxito e será entregue aos destinatários em breve.