Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.
 

Re: [Esp-Br] Santa Maria: onde estava Deus?

Expandir mensagens
  • Maria Helena
    Sergio, Eu não costumo fazer relação de uma tragédia com outra já ocorrida, mas as vezes o pensamento voa e vem à mente tragédias que ocorreram no
    Mensagem 1 de 58 , 27 de jan de 2013
      Sergio,

      Eu não costumo fazer relação de uma tragédia com outra já ocorrida,
      mas as vezes o pensamento voa e vem à mente tragédias que ocorreram
      no passado que nos faz pensar e perguntar o porquê de ter ocorrido,
      existe alguma relação?

      - Santa Maria, uma cidade escolhida por milhares imigrantes alemães,
      para trabalhar na terra, fugindo dos combates da Revolução Farroupilha.

      Após o término da segunda guerra mundial, consta que alguns alemães
      de Santa Maria acobertaram vários nazistas, dentre eles o comandante
      dos tenebrosos campos de Treblinka e Sobibor na Polônia, que após ser
      localizado foi extraditado para Alemanha e condenado a prisão perpétua
      em 1967.

      - Campo de Treblinka, ao entrar nesse campo, após o término da guerra ,
      os aliados chocados encontraram uma quantidade de corpos empilhados,
      aproximadamente 3 mil mortos, uns sobre os outros, nas salas onde se
      encontravam os chuveiros de gás, denominadas câmaras de gás.

      - Incêndio na boate em Santa Maria, a maioria dos jovens morreram por
      inalação da fumaça tóxica, queimados foram poucos. Foram encontrados
      no banheiro da boate um número considerável de jovens, uns sobre os outros,
      mortos por asfixia.

      Será mesmo que não tem relação?

      Hannah


      ----- Original Message -----
      From: Sergio Martins
      To: espiritismo-brasil@...
      Sent: Sunday, January 27, 2013 4:39 PM
      Subject: [Esp-Br] Santa Maria: onde estava Deus?



      http://espbrasil.wordpress.com/2013/01/27/santa-maria-onde-estava-deus/

      Sergio Martins
      @sergiomartins1




      [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
    • marcus gandolfi
      *Fernanda, Tentarei responder cada tópico de acordo com o que lí e estudei nos livros doutrinários: ! - Não concordo, o que estrutura o corpo físico são
      Mensagem 58 de 58 , 3 de fev de 2013
        *Fernanda,

        Tentarei responder cada t�pico de acordo com o que l� e estudei nos livros
        doutrin�rios:

        ! - N�o concordo, o que estrutura o corpo f�sico s�o os gens do pai e da
        m�e, o perisp�rito n�o � "forma" do corpo f�sico, se assim o fosse pai e
        m�e seriam dispens�veis, se o esp�rito quer nascer de uma ra�a ou outra,
        tem que ter pais f�sicos da ra�a espec�fica, o perisp�rito n�o tem ra�a, ou
        qualquer �rg�o, � flu�dico, ou seja, energ�tico.

        2 - Discordo frontalmente, se assim o fosse quem desencarnou com uma les�o
        frave do cora��o automaticamente teria tal les�o em vida seguinte, quem
        desencarnou sem cabe�a, encarnaria sem a mesma em vida futura. Quem
        impressiona o perisp�rito � o esp�rito, sua mente, e apenas modifica a
        forma do perisp�rito, n�o sua composi��o, perisp�ritos n�o tem quaisquer
        doen�as ou les�es, isso � apenas fantasia m�stica, porque a evolu��o ou n�o
        � do esp�rito, e n�o do perisp�rito. O perisp�rito jamais � lesado por
        qualquer meio f�sico, ou quem morreu em Hiroshima, que teve o corpo
        desintegrado, tamb�m teria o perisp�rito desintegrado, o que � um absurdo!

        3 - Sem coment�rios.

        4 - Doen�as s�o aprendizados e n�o castigos divimnos!

        5 - Concordo!

        6 - Discordo, cada caso � um caso, vide o atual maior intelig�ncia viva,
        que tem preservada sua capacidade mental, mesmo que seu corpo n�o
        funcione(Stefen Hawking)

        7 - Idem

        8 - Idem

        9 - Idem

        10 - Obviamente que n�o, estamos sujeitos a milhares de doen�as, e elas
        naturalmente n�o s�o c�rmicas, fazem parte da vida do planeta!

        11 - N�o existem doen�as compuls�rias! Somos n�s que nos colocamos nas
        situa��es de contrair doen�as! Aqueles que contrairam AIDS quando tratando
        amesma em outros contraiu uma doen�a compuls�ria?(supondo que a

        *
        *Em 2 de fevereiro de 2013 17:17, Fernanda <fernandinhalmada@...>escreveu:
        *
        >
        > * *
        >
        > *Oi, Marcus,
        > * *
        > � verdade... Temos que estudar mais...
        > Aproveito para postar outro texto de Emmanuel que encontrei, veja o que
        > acha.
        > * *
        > abs.
        > * *
        > Fernanda
        > * *
        > CAUSAS ESPIRITUAIS DAS DOEN�AS
        > * *
        > Emmanuel
        > * *
        > 1-O que estrutura espiritualmente o corpo de carne?
        > * *
        > -O corpo espiritual ou perisp�rito � o corpo b�sico, constitu�do de
        > mat�ria
        > sutil, sobre o qual se organiza o corpo de carne.
        > * *
        > 2-O erro de uma encarna��o passada pode incluir na encarna��o presente,
        > predispondo o corpo f�sico �s doen�as? De que modo?
        > * *
        > -A grande maioria das doen�as tem a sua causa profunda na estrutura
        > semimaterial do corpo espiritual. Havendo o esp�rito agido erradamente,
        > nesse ou naquele setor da experi�ncia evolutiva, vinca o corpo espiritual
        > com desequil�brios ou distonias, que o predisp�em � instala��o de
        > determinadas enfermidades, conforme o �rg�o atingido.
        > * *
        > 3-Quais os dois aspectos da Justi�a?
        > * *
        > -A Justi�a na Terra pune simplesmente a crueldade manifesta, cujas
        > conseq��ncias transitam nas �reas do interesse p�blico, dilapidando a vida
        > e
        > induzindo � criminalidade; entretanto, esse � apenas o seu aspecto
        > exterior,
        > porque a Justi�a � sempre manifesta��o constante da Lei Divina, nos
        > processos da evolu��o e nas atividades da consci�ncia.
        > * *
        > 4-Qual a rela��o existente entre doen�as e a Justi�a?
        > * *
        > -No curso das enfermidades, � imperioso venhamos a examinar a
        > Justi�a, funcionando com todo o seu poder regenerativo, para sanar os
        > males
        > que acalentamos.
        > * *
        > 5-O que faz o Esp�rito, antes de reencarnar-se visando � pr�pria melhoria?
        > * *
        > -Antes da reencarna��o, n�s mesmos, em plenitude de
        > responsabilidade, analisamos os pontos vulner�veis da pr�pria alma,
        > advogando em nosso pr�prio favor a concess�o dos impedimentos f�sicos que,
        > em tempo certo, nos imunizem, ante a possibilidade de reincid�ncia nos
        > erros
        > em que estamos incursos.
        > * *
        > 6-Que pedem, para regenerar-se, os intelectuais que conspurcaram os
        > tesouros
        > da alma?
        > * *
        > -Art�fices do pensamento, que malversamos os patrim�nios do
        > esp�rito, rogam empe�os cerebrais, que se fa�am por algum tempo alavancas
        > coercitivas, contra as nossas tend�ncias ao desequil�brio intelectual.
        > * *
        > 7-Que medidas de reabilita��o rogam os artistas que corromperam a
        > intelig�ncia?
        > * *
        > -Artistas, que intoxicamos a sensibilidade alheia com os abusos da
        > representa��o viciosa, imploramos mol�stias ou mutila��es, que nos
        > incapacitem para a queda em novas culpas.
        > * *
        > 8-Que emendas solicitam os oradores e pessoas que influenciaram
        > negativamente pela palavra?
        > * *
        > -Tarefeiros da palavra, que nos prevalecemos dela para caluniar ou
        > para ferir, solicitamos as defici�ncias dos aparelhos vocais e auditivos,
        > que nos garantam a segrega��o providencial.
        > * *
        > 9-Que provid�ncias retificadoras pedem para si pr�prios aqueles que
        > abra�aram graves compromissos do sexo?
        > * *
        > -Criaturas dotadas de harmonia org�nica, que arremessamos os
        > valores do sexo ao terreno das paix�es aviltantes, enlouquecendo cora��es
        > e
        > fomentando trag�dias, suplicamos as doen�as e as inibi��es gen�sicas que
        > em
        > nos humilhando, servem por v�lvulas de conten��o dos nossos impulsos
        > inferiores.
        > * *
        > 10-Todas as enfermidades conhecidas foram solicitadas pelo Esp�rito do
        > pr�prio enfermo, antes de renascer?
        > * *
        > -Nem sempre o Esp�rito requisita deliberadamente determinadas
        > enfermidades de vez que, em muitas circunst�ncias quais aqueles que se
        > verificam no suic�dio ou na delinq��ncia, ca�mos, de imediato, na
        > desagrega��o ou na insanidade das pr�prias for�as, lesando o corpo
        > espiritual, o que nos constrange a renascer no ber�o f�sico, exibindo
        > defeitos e mol�stias cong�nitas, em aflitivos quadros expiat�rios.
        > * *
        > 11-Quais s�o os casos mais comuns de doen�as compuls�rias, impostas pela
        > Lei
        > Divina?
        > * *
        > -Encontramos numerosos casos de doen�as compuls�rias, impostas pela
        > Lei Divina, na maioria das criaturas que trazem as prova��es da idiotia ou
        > da loucura, da cegueira ou da paralisia irrevers�veis, ou ainda, nas
        > crian�as-problemas, cujos corpos, irremediavelmente frustrados, durante
        > todo
        > o curso da reencarna��o, mostram-se na condi��o de celas regenerativas,
        > para
        > a interna��o compuls�ria daqueles que fizeram jus a semelhantes recursos
        > dr�sticos da Lei. Justo acrescentar que todos esses companheiros, em
        > transit�rias, mas duras dificuldades, renascem na companhia daqueles
        > mesmos
        > amigos e familiares de outro tempo que, um dia, se cumpliciaram com eles
        > na
        > pr�tica das a��es reprov�veis em que delinq�iram.
        > * *
        > 12-A mente invigilante pode instalar doen�as no organismo? E o que pode
        > provocar doen�as de causas espirituais na vida di�ria?
        > * *
        > -A mente � mais poderosa para instalar doen�as e desarmonias do que
        > todas as bact�rias e v�rus conhecidos.
        > * *
        > Necess�rio, pois, considerar igualmente, que desequil�brios e
        > mol�stias surgem tamb�m da imprud�ncia e do desmazelo, da revolta e da
        > pregui�a. Pessoas que se embriagam a ponto de arruinar a sa�de; que
        > esquecem
        > a higiene at� se tornarem presas de parasitas destruidores; que se
        > encolerizam pelas menores raz�es, destrambelhando os pr�prios nervos; os
        > que
        > passam, todas as horas em redes e leitos, poltronas e janelas, sem coragem
        > de vencer a ociosidade e o des�nimo pela movimenta��o do trabalho,
        > prejudicando a fun��o dos �rg�os do corpo f�sico, em raz�o da pr�pria
        > imobilidade, s�o criaturas que geram doen�as para si mesmas, nas atitudes
        > de
        > hoje mesmo, sem qualquer liga��o com causas anteriores de exist�ncias
        > passadas.
        > * *
        > 13-Qual a advert�ncia de Jesus para que nos previnamos dos males do corpo
        > e
        > da alma?
        > * *
        > -Assinalando as causas distantes e pr�ximas das doen�as de agora,
        > destacamos o motivo por que os ensinamentos da Doutrina Esp�rita nos fazem
        > considerar, com mais senso de gravidade, a advert�ncia do Mestre: "Orai e
        > vigiai, para n�o cairdes em tenta��o".
        > * *
        > Da Obra "Leis Do Amor" - Esp�rito: Emmanuel -
        > * *
        > Psicografias: De Francisco C�ndido Xavier Dos Cap�tulos Pares
        > * *
        > E Waldo Vieira, Dos Cap�tulos �mpares.*
        > *
        > * *
        > ----- Original Message -----
        > From: "marcus gandolfi" gandolfi.marcus@...>
        > To: espiritismo-brasil@...>
        > *
        > * Sent: Saturday, February 02, 2013 1:06 PM
        > Subject: Re: [Esp-Br] Santa Maria: onde estava Deus?
        > * *
        > *
        > * Fernanda,
        > * *
        > Se deus vai mandando as PROVAS, elas n�o s�o resgates, ou pagamentos do
        > carn� de d�bitos.
        > Se somos esp�ritos, imortais, e o corpo e as exist~encias terrenas "aulas",
        > cada uma tem sua "li��o" a ser aprendida, e n�o resgates de d�vidas
        > contraidas quando n�o sab�amos, por ignor�ncia e falta de evolu��o, que
        > est�vamos contraindo.....
        > Castigar, ou fazer passar por castigos f�sicos esp�ritos em evolu��o me
        > p�rece contrassenso, nem os pais mais novos , encarnados portanto, utilizam
        > esse tipo de educa��o, n�o se bate para educar, n�o se castiga para educar,
        > dialoga-se ! Sempre!
        > As escolas atuais utilizam-se do m�todo construtivista, portanto pedagogia
        > esp�rita!
        > * *
        > Que diferen�a existe entre uma Tsunami e uma bomba at�mica? Se entendermos
        > que a primewira � criada e utlizada por deus para ""educar" esp�rios, temos
        > que entender que a segunda tamb�m, pois se aqueles que sofreram tal ataque
        > "mereciam" tal evento, este obrigatoriamente tem que ter sido programado
        > por deus! Mas e aqueles que o fizeram? Tem alguma culpa, visto terem sido
        > programados por deus para tal? Contrassenso!!!!!!
        > * *
        > Ent�o o livre arb�trio ser� mesmo uma farsa, um engodo, somos rob�ticamente
        > programados para agir assim ou assado. Nesta l�gica, a do absurdo, um
        > esp�rito reencarnado para ser homem bomba, mesmo que os pais mudem de pa�s,
        > vai ser homem bomba, deus fara�com que aconte�a!
        > * *
        > Veja, digo, perceba que tais quest�es passam por nosso entendimento do que
        > seja deus, de como encaramos sua a��o! Temos mesmo � que estudar doutrina
        > esp�rita, com isen��o, e n�o adaptando-a a conceitos religiosos,
        > ultrapassados e da idade da pedra, literalmente idade da pedra!
        > * *
        > O determinismo � a reencarna��o, mas converso com esp�ritos que est�o sem
        > reencarnar a mil�nios, e s�o ""endividados"", muito, e ent�o como fica o
        > deve-paga?
        > * *
        > Entendo que devamos estudar mais.......
        > * *
        > Abs
        > Marcus
        > * *
        > Em 1 de fevereiro de 2013 23:44, Fernanda
        > * *fernandinhalmada@...>**escreveu:
        > * *
        > *
        > * > ***
        > *
        > >
        > >
        > > Marcus,
        > >
        > > Eu penso diferente de voc�, porque acho que todos temos que resgatar os
        > > nossos d�bitos, caso contr�rio n�o faria sentido a exist�ncia do
        > > sofrimento.
        > > Eita que a� sim eu seria uma deficiente revoltada! rsrsrsrsr E olha que �
        > > um
        > > grande desafio ser deficiente sem se revoltar! rsrsrsrs Bom, mas eu s�
        > n�o
        > > acho que seja tudo t�o linear, acho que tudo vem a seu tempo, de acordo
        > > com
        > > as possibilidades de cada pessoa. Acho que n�o adiantaria cobrar um
        > d�bito
        > > de uma pessoa que n�o tem condi��o de pagar. E por isto, acho que Deus
        > tem
        > > paci�ncia e vai mandando as provas devagar.
        > >
        > > abra�os!
        > >
        > > Fernanda
        > >
        > > ----- Original Message -----
        > > From: "marcus gandolfi" gandolfi.marcus@...>
        > > To: espiritismo-brasil@...>
        > > Sent: Friday, February 01, 2013 11:07 PM
        > > Subject: Re: [Esp-Br] Santa Maria: onde estava Deus?
        > >
        > > Hannah,
        > >
        > > Ent�o voc� deve concordar que n�o existe esse deve-paga como lei, �
        > > permitido que aquele que assim o deseje, se mortificar, sofrer o mesmo
        > que
        > > fez sofrer, o fa�a, mas isso n�o garante nem o resgate de d�vidas e muito
        > > menos a evolu��o do esp�rito, enquanto n�o houver entendimento e mudan�a
        > > de
        > > atitudes, nada disso ser� �til. Quantos deficientes orgulhosos e
        > > arrogantes
        > > vemos por a�, quantos revoltados com sua situa��o? Alguns at� repetem
        > > aquilo que supostamente vieram resgatar.......
        > >
        > > Abs
        > > Marcus
        > > Em 1 de fevereiro de 2013 20:28, Maria Helena
        > > hannahmht@...>**escreveu:
        > >
        > > > **
        > >
        > > >
        > > >
        > > > Marcus,
        > > >
        > > > A doutrina � bem clara: todo esp�rito que causou preju�zo para
        > > >
        > > > seu pr�ximo deve reparar o que foi feito, seja nesta exist�ncia ou
        > > > em outras, conforme o grau do preju�zo causado, assim � a Lei.
        > > >
        > > > Deus permite o resgate pela dor e pelo sofrimento, porque o esp�rito
        > > > ainda n�o aprendeu a amar, preferindo praticar nele a lei mosaica
        > > > do "olho por olho". � o esp�rito quem escolhe essa forma para reparar
        > > > os danos causados.
        > > >
        > > >
        > > > Abs.
        > > > Hannah
        > > >
        > > > ----- Original Message -----
        > > > From: "marcus gandolfi" gandolfi.marcus@...>
        > > > To: espiritismo-brasil@...>
        > > > Sent: Friday, February 01, 2013 7:20 PM
        > > > Subject: Re: [Esp-Br] Santa Maria: onde estava Deus?
        > > >
        > > > Hannah,
        > > >
        > > > Ent�o, � exatamente o que falei, que ainda se aceita a pena de tali�o
        > > como
        > > > o �nico caminho, o que o espiritismo vem desmentir, que defende(como
        > > > jesus)
        > > > que o que importa � a inten��o, e que o sofrimento nada tewm a ver com
        > a
        > > > evolu��o, e sim o entendimento e os atos a favor do bem � o que conta,
        > > > mesmo porque n�o � deus que nada cobra, mas os prejudicados � que o
        > > fazem,
        > > > e o que querem , em geral n�o � justi�a, mas vingan�a.
        > > >
        > > > Estamos num planeta sujeito �s revolu��es fr�sicas, �s doen�as , e aos
        > > > acidentes, al�m da estupidez humana, colocar isso num mesmo patamar
        > > > evolutivo seria cometer os mais absurdos enganos. Ningu�m aqu� est�
        > para
        > > > cometer erros de forma que estes sejam usados como castigo p�ra outros,
        > > ou
        > > > todos os assassinatos , suic�dios e absurdos humanos seriam nada mais
        > do
        > > > que programa��o divina, perdo�veis, j� que quem os planejou e obrigou a
        > > > execu��o teria sido deus! Um rematado absurdo
        > > >
        > > > N�o posso entender que atos como \Hiroshima e nagazaki, ou Treblinka e
        > > > Auschwitz, possar ter sido "aproveitados " para castigar esp�ritos por
        > > > faltas pret�ritas.
        > > > A reencarna��o seria nada mais que um supl�cio para os esp�ritos e o
        > > livre
        > > > arb�trio mera fal�cia.
        > > >
        > > > Pela l�gica do deve-paga estariam todos hoje em Nosso Lar( os de Sta
        > > > Maria)
        > > > porque teriam quitado seus d�bitos, e tendo entendido ou n�o o porque
        > > > seriam todos recebidos como esp�ritos puros, limpinhos de pecados......
        > > >
        > > > N�o me parece ser esta a l�gica esp�urita e da reencarna��o que oferece
        > > > aos
        > > > esp�ritos a eternidade para a evolu��o, sem castigos ou resgates
        > > > b�blicos....
        > > >
        > > > Abs
        > > > Marcus
        > > >
        > > > Em 1 de fevereiro de 2013 10:46, Maria Helena
        > > > hannahmht@...>**escreveu:
        > > >
        > > > > **
        > > >
        > > > >
        > > > >
        > > > > Marcus,
        > > > >
        > > > > Entendo que todo esp�rito que causou preju�zo para seu pr�ximo
        > > > > deve reparar o que foi feito, seja nesta exist�ncia ou em outras,
        > > > > conforme o grau do preju�zo causado, assim � a Lei. Como ser�
        > > > > feita essa repara��o depender� do grau de entendimento de cada
        > > > > esp�rito, do seu arrependimento, da sua vontade em amar o pr�ximo,
        > > > > de evoluir mais rapidamente etc. Entendo, tamb�m, que a lei de tali�o
        > > > > se refere ao encarnado, ou seja n�o � dado ao encarnado direito de
        > > > > aplicar ao infrator os rigores das leis. Cada pequenina ofensa as
        > leis
        > > > > estabelecidas universalmente dever� sofrer a devida repara��o. Na
        > > > > mesma medida, a justi�a divina se serve para punir aquele que n�o
        > > > > perdoou a ofensa, ou prejuizo.
        > > > >
        > > > > Entendo ainda que n�o existem coincid�ncias hist�ricas, que tudo o
        > > > > que acontece tem uma causa anterior; que cada um sofre hoje o que
        > > > > fez sofrer ontem, na medida da falta cometida; que as hist�rias se
        > > > > repetem dado ao grau de evolu��o em que se encontra a Humanidade
        > > > > da Terra.
        > > > >
        > > > > Entendo mais que o desejo de reparar o preju�zo causado, n�o livra o
        > > > > infrator das leis os correspondentes sofrimentos impostos ao pr�ximo
        > > > > pela pr�tica de atos criminosos, podem ser amenizados, de acordo com
        > > > > o seu caminhar no bem, recebendo for�a e coragem para enfrentar toda
        > > > > dor e sofrimento, se assim n�o fosse h� muito j� n�o se teria, na
        > > Terra,
        > > > > nenhum vest�gios de qualquer tipo de sofrimento.
        > > > >
        > > > > Quanto � trag�dia de Santa Maria encontrei similitudes entre os fatos
        > > > > ocorridos na �ltima guerra com os que ocorreu nessa cidade,
        > entendendo
        > > > > que os vitimados foram reunidos, por terem cometidos faltas
        > > semelhantes,
        > > > > para dar cumprimento as Leis, entendendo mais que os que morreram
        > > > > imediatamente foram os que j� estavam em condi��es evolutivas de n�o
        > > > > sofrerem por muito tempo, diferentemente daqueles que se encontram
        > > > > nos hospitais sofrendo e, se conseguirem sair, carregar�o as
        > seq�elas,
        > > > > com mais dores e sofrimentos pelo resto de suas vidas.
        > > > >
        > > > > Assim como as Leis atingiram aqueles que morreram e os que est�o
        > > > > nos hospitais, seus familiares, tamb�m, est�o reparando faltas
        > > > > cometidas.
        > > > >
        > > > > � assim que penso hoje sobre os ensinamentos esp�ritas.
        > > > >
        > > > > Abs.
        > > > >
        > > > > Hannah
        > > >
        > > >
        > > >
        > >
        > > [As partes desta mensagem que n�o continham texto foram removidas]
        > >
        > > ------------------------------**------
        > >
        > >
        > > Para sair da lista:
        > > espiritismo-brasil-unsubscribe@yahoogroups.com
        > > N�o deixe de responder � mensagem de confirma��o.
        > >
        > > http://www.espiritismo-brasil.org.br/Links do Yahoo! Grupos
        > >
        > >
        > >
        > * *
        > [As partes desta mensagem que n�o continham texto foram removidas]
        > * *
        > ------------------------------**------
        > * *
        > Para sair da lista:
        > * *espiritismo-brasil-unsubscribe@yahoogroups.com
        > N�o deixe de responder � mensagem de confirma��o.
        > * *
        > * *http://www.espiritismo-brasil.org.br/Links do Yahoo! Grupos
        > * *
        > *
        > **
        >
        *
        *


        [As partes desta mensagem que n�o continham texto foram removidas]
      Sua mensagem foi enviada com êxito e será entregue aos destinatários em breve.