Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.
 

Re: "Não é mais possível dizer que não sabíamos"

Expandir mensagens
  • waldir oliveira
    Mensagem 1 de 34 , 21 de jul de 2012
      <<<Como matuto responderia ao amigo: UAI, porque um tem uma conformação física e o outro outra conformação física, já que ambos são "vegetarianos"!!!!! ;-D

      Vladimir,
      sem qualquer ofensa aos opinadores... por há situações que desconhecemos assim que o estado de manifestação dos espíritos/indivíduos se alteram e estamos presos ao que foi dito em 1857 para o conhecimento da época... mas, a minha brincadeira estará respondida após a leitura do que segue.

      Tome muita água, perto de 2 litros ao dia ou bolinhas à vista <:o)
      ........


      Egestão: Porque o bode caga em bolinhas?

      Certa vez caminhava com um velho amigo discutindo acerca de proposições matemáticas e filosóficas quando ele me interrompeu e perguntou: "sabe por que o bode caga em bolinha?" respondi que não, um pouco admirado com a relevância dessa questão para nossa discussão, ao que ele respondeu: "Se tu não entende nem de merda, como tu quer entender de matemática?".


      Fiquei surpreso pela facilidade com que ele destruiu todo o conteúdo do meu discurso, e mantive-me em silêncio, tentando obter uma resposta plausível para a questão inicial que ele me fez. Claro, nem todos que entendem parcamente de matemática necessitam de elucidação sobre a digestão e egestão ruminante, mas propus-me a aceitar o desafio.


      Lembremos que o infame animal come folhas duras, papel, roupas, pedaços de couro, gravetos, e uma infinidade de porcarias duras e inimastigáveis para os sensíveis dentes humanos. Esse é o motivo da consistência do produto final do processo digestivo caprino.


      Usarei termos não-técnicos para facilitar o entendimento leigo: o bode mastiga seu alimento com destreza e paciência; depois de misturar tudo com o cuspe, usa a língua para encaminhar a gororoba pela goela. O alimento vai sendo digerido lentamente e passa para a tripa fina em diversas golfadas pelas aberturas e fechamentos da boca do estômago. Formam-se bolinhos fedorentos de grudes moles semi-digeridos, sendo acrescidos de fel e peristalticamente conduzidos à tripa grossa, onde a maior parte da água é retirada, formando-se as massinhas já em processo de acabamento. O toque final da escultura é dado quando a bosta passa pelo corta-merda, caindo em formas vagamente esféricas no chão das ruas por onde passam crianças jogando peteca.


      Se alguém lhe perguntar, lembre-se dessa lição. Não sejamos mais humilhados pelo desconhecimento a respeito do cocô caprino. Se alguém souber a ligação disso com o aprendizado de matemática, escreva-me ou comente, essa dúvida ainda não consigo responder.

      .

      .

      Charlie_Ramone.

      .

      --- Em espiritismo-brasil@..., vladimir alexei <vladimir_alexei@...> escreveu
      >
      > Amigo Waldir,
      >
      > Saudações das Gerais, meu querido!! Abração (de longe tb)!!!! Fico feliz em bater papo com você novamente!!
      >
      > Puxa, tempo bom o início da lista, né?! Já tivemos altas discussões por aqui e o pouco que sei da doutrina hoje aprendi muito nessas discussões! Sem contar as amizades!!
      >
      > Como matuto responderia ao amigo: UAI, porque um tem uma conformação física e o outro outra conformação física, já que ambos são "vegetarianos"!!!!! ;-D
      >
      > Abração meu amigo!!!!
      >
      > vlad
      >
      >
      >
      >
      >
      > >________________________________
      > > De: waldir oliveira <oliveirawaldir@...>
      > >Para: espiritismo-brasil@...
      > >Enviadas: Sábado, 21 de Julho de 2012 17:39
      > >Assunto: Re: [Esp-Br] "Não é mais possível dizer que não sabíamos"
      > >
      > >
      > > 
      > >Amigo Vladimir, uma abraço de longe, mas com carinho por vc marcar presença na lista ao vivo e a cores... já que é um dos fundadores dela, e que em off pode ser buscado nos anais ;-) ou se quiser no porão da ESPBR.
      > >
      > >Mas, não sei por que com esse seu comentário que é quase um 'resumo' me veio à mente a pergunta do matuto: me fale Dr. por que a vaca faz um 'splash' e o bode tudo em bolinhas?
      > >
      > >Abs
      > >
      > >waldir
      > >
      > >--- Em espiritismo-brasil@..., vladimir alexei <vladimir_alexei@> escreveu
      > >>
      > >> Emmanuel,
      > >>
      > >> Pegando o bonde andando em seus comentário com o Gandalfi, fiquei pensativo quanto ao avanço da ciência... O amigo deve saber que a ciência não é exata, haja visto o que aconteceu com o átomo que até bem pouco tempo era indivisível. A ciência é fundamental pois trabalha com "método". O uso do método nos permite compreender o desenvolvimento do raciocínio. Disto acho que não podemos abrir mão: método para conhecer e desenvolver. A Ciência é de suma importância!!
      > >>
      > >>
      > >> Existem, de fato, assuntos que foram tratados pelos espíritos de forma "en passant". Homossexualismo é um caso e muitos outros mais específicos. Entretanto, até o presente momento, diria ao amigo que é mais comum a falta de conhecimento dos que falam da Doutrina Espírita do que a ciência ter avançado a ponto de sobrepor uma "verdade" doutrinária.
      > >>
      > >>
      > >> É muito sutil a diferença, entretanto, se aprofundarmos os estudos raras são as descobertas científicas que a teoria espírita não tenha tratado ou pelo menos comentado seu princípio. "Como fazer" realmente não foi tratado.
      > >>
      > >>
      > >> É a velha polêmica de sempre, porém, a cada dia estou mais convencido disto. Lembrando que o espiritismo inaugura uma espécie de "ciência moral" que é seu principal, afinal, conhecer partículas, átomos e outros quejandos, pelo que lemos na história da humanidade, salvo raríssimas exceções (Einstein, por exemplo), esse entendimento científico não tem levado o Espírita a ser melhor, a melhorar-se como Espírito Imortal. Criticamos tanto os evangélicos que nos tornamos catedráticos em espiritismo enquanto a "moral" do Cristianismo Redivivo ainda está longe por ser realizada em plenitude...
      > >>
      > >>
      > >> Aquele abraço!!
      > >>
      > >> vlad
      > >>
      > >>
      > >>
      > >>
      > >> >________________________________
      > >> >Em 20 de julho de 2012 22:20, emmanuelzb <emmanuelzb@> escreveu:
      > >> >
      > >> >> **
      > >> >>
      > >> >>
      > >> >> Marcus,
      > >> >>
      > >> >> O objetivo de eu ter colocado o "consciência, comportamento, rede neural e
      > >> >> genética" foi apenas para enfatizar que as pesquisas não se restringiam às
      > >> >> características anatômicas dos animais, que foi o seu primeiro argumento
      > >> >> para rebater a matéria da revista. Não sei se algum dia alguém vai provar
      > >> >> que animais pensam, acho que pensamentos não são coisas que se podem ver,
      > >> >> medir e pesar, essas pesquisas apontam, sugerem e não provam.
      > >> >>
      > >> >> "(...)Emmanuel, o que você entende pelo princípio inteligente?(...)"
      > >> >>
      > >> >> Marcus, eu não tenho uma teoria pessoal sobre princípio inteligente, mas
      > >> >> se a nossa teoria espírita não se ajustar às descobertas sou da opinião de
      > >> >> que devemos mudar a teoria e não ajustar os fatos a ela.
      > >> >>
      > >> >> Um abraço,
      > >> >>
      > >> >> Emmanuel
      > >> >>
      > >> >> --- Em espiritismo-brasil@..., marcus gandolfi
      > >> >> <gandolfi.marcus@> escreveu
      > >> >> >
      > >> >> > Emmanuel,
      > >> >> >
      > >> >> > Quando você colocou :consciência, comportamento, rede neural e genética.
      > >> >> >
      > >> >> > Qual a lógica? Chegar à inteligência, e chegando à inteligência, só
      > >> >> > poderíamos concluir que os animais pensam, tem consciência, etc......
      > >> >> >
      > >> >> > Emmanuel, o que você entende pelo princípio inteligente?
      > >> >> >
      > >> >> > Abs
      > >> >> > Marcus
      > >> >> > Em 20 de julho de 2012 21:10, emmanuelzb <emmanuelzb@> escreveu:
      > >> >> >
      > >> >> > > **
      > >> >>
      > >> >> > >
      > >> >> > >
      > >> >> > > Poxa Marcus,
      > >> >> > >
      > >> >> > > Aonde foi que eu falei que animais pensam? Aliás eu nem queria discutir
      > >> >> > > consciência dos animais, mas o você ter rebatido as conclusões do
      > >> >> > > pesquisador com a teoria espírita ("sabemos que o princípio
      > >> >> inteligente que
      > >> >> > > anima os animais não tem consciência de sí")
      > >> >> > >
      > >> >> > >
      > >> >> > > Abraço,
      > >> >> > >
      > >> >> > > Emmanuel
      > >> >> > >
      > >> >> > > --- Em espiritismo-brasil@..., marcus gandolfi
      > >> >> > > <gandolfi.marcus@> escreveu
      > >> >>
      > >> >> > > >
      > >> >> > > > Emmanuel,
      > >> >> > > >
      > >> >> > > >
      > >> >> > > > Tem alguma prova de que animais pensam?
      > >> >> > > > Favor postar por favor!
      > >> >> > > >
      > >> >> > > > Abs[
      > >> >> > > > Marcus
      > >> >> > > >
      > >> >> > > > Em 19 de julho de 2012 21:19, emmanuelzb <emmanuelzb@> escreveu:
      > >> >>
      > >> >> > > >
      > >> >> > > > > **
      > >> >> > >
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > Marcus,
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > "(...)Ter estruturas que possibilitariam ter consciência é uma
      > >> >> coisa,
      > >> >> > > outra é ter a consciência(...)"
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > Mas não é só isso, o pesquisador não está levando em consideração
      > >> >> > > apenas evidências anatômicas, reproduzindo o texto do site da EXAME:
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > "Agora, temos um grupo de neurocientistas respeitados que estudam o
      > >> >> > > fenômeno da consciência, o comportamento dos animais, a rede neural, a
      > >> >> > > anatomia e a genética do cérebro."
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > Então, estão sendo levados em conta: consciência, comportamento,
      > >> >> rede
      > >> >> > > neural e genética.
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > "(...)sabemos que o princípio inteligente que anima os animais não
      > >> >> tem
      > >> >> > > consciência de sí(...)"
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > Sabemos como? Por que o espírito contou? O que é mais sensato?
      > >> >> Aceitar
      > >> >> > > informações adquiridas por manifestações mediúnicas ou evidências
      > >> >> > > adquiridas através da experimentação científica?
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > Um abraço,
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > Emmanuel
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > --- Em espiritismo-brasil@..., marcus gandolfi
      > >> >> > > > > <gandolfi.marcus@> escreveu
      > >> >> > >
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > >
      > >> >> > > > > > Fernanda,
      > >> >> > > > > >
      > >> >> > > > > > Trunquei a msg, continuando..........e é exatamente por isso que
      > >> >> não
      > >> >> > > > > > existem animais no plano espiritual, não teria sentido ficarem
      > >> >> > > vagando,
      > >> >> > > > > ou
      > >> >> > > > > > mesmo num "curral", sei lá, não adquirem experiências.
      > >> >> > > > > > A consciência vem com a inteligência, com a capacidade de
      > >> >> abstração,
      > >> >> > > com
      > >> >> > > > > o
      > >> >> > > > > > livre arbítrio, com a capacidade de escolhas, e isso animal algum
      > >> >> > > tem, ou
      > >> >> > > > > > terá, porque não é o físico que os limita, mas sua evolução
      > >> >> > > espiritual.
      > >> >> > > > > >
      > >> >> > > > > > Abs
      > >> >> > > > > > Marcus
      > >> >> > > > > >
      > >> >> > > > > > Em 19 de julho de 2012 19:50, marcus gandolfi
      > >> >> > > > > > <gandolfi.marcus@>escreveu:
      > >> >> > >
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > >
      > >> >> > > > > > > Fernanda,
      > >> >> > > > > > >
      > >> >> > > > > > >
      > >> >> > > > > > > Ter estruturas que possibilitariam ter consciência é uma coisa,
      > >> >> > > outra é
      > >> >> > > > > > > ter a consciência, e aí não há demérito algum para os animais,
      > >> >> mas
      > >> >> > > o
      > >> >> > > > > > > pesquisador não leva em conta o espírito,. e é aí que a coisa
      > >> >> pega,
      > >> >> > > > > porque
      > >> >> > > > > > > sabemos que o princípio inteligente que anima os animais não
      > >> >> tem
      > >> >> > > > > > > consciência de sí, tem individualidade, mas não consciência, e
      > >> >> é
      > >> >> > > > > exatamente
      > >> >> > > > > > > por isso q
      > >> >> > > > > > >
      > >> >> > > > > > > Em 19 de julho de 2012 17:45, Fernanda <fernandinhalmada@
      > >> >> > > >escreveu:
      > >> >> > >
      > >> >> > > > > > >
      > >> >> > > > > > > **
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> "Não é mais possível dizer que não sabíamos", diz Philip Low
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> Fonte: Exame.com
      > >> >> > > > > > >> Neurocientista explica por que pesquisadores se uniram para
      > >> >> > > assinar
      > >> >> > > > > > >> manifesto que admite a existência da consciência em todos os
      > >> >> > > > > mamíferos,
      > >> >> > > > > > >> aves e outras criaturas.
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> Estruturas do cérebro responsáveis pela produção da
      > >> >> consciência
      > >> >> > > são
      > >> >> > > > > > >> análogas em humanos e outros animais, dizem neurocientistas
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> São Paulo - O neurocientista canadense Philip Low ganhou
      > >> >> destaque
      > >> >> > > no
      > >> >> > > > > > >> noticiário científico depois de apresentar um projeto em
      > >> >> parceria
      > >> >> > > com
      > >> >> > > > > o
      > >> >> > > > > > >> físico Stephen Hawking, de 70 anos. Low quer ajudar Hawking,
      > >> >> que
      > >> >> > > está
      > >> >> > > > > > >> completamente paralisado há 40 anos por causa de uma doença
      > >> >> > > > > degenerativa, a
      > >> >> > > > > > >> se comunicar com a mente.
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> Os resultados da pesquisa foram revelados no último sábado
      > >> >> (7) em
      > >> >> > > uma
      > >> >> > > > > > >> conferência em Cambridge. Contudo, o principal objetivo do
      > >> >> > > encontro
      > >> >> > > > > era
      > >> >> > > > > > >> outro. Nele, neurocientistas de todo o mundo assinaram um
      > >> >> > > manifesto
      > >> >> > > > > > >> afirmando que todos os mamíferos, aves e outras criaturas,
      > >> >> > > incluindo
      > >> >> > > > > > >> polvos, têm consciência. Stephen Hawking estava presente no
      > >> >> > > jantar de
      > >> >> > > > > > >> assinatura do manifesto como convidado de honra.
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> Low é pesquisador da Universidade Stanford e do MIT
      > >> >> (Massachusetts
      > >> >> > > > > > >> Institute of Technology), ambos nos Estados Unidos. Ele e
      > >> >> mais 25
      > >> >> > > > > > >> pesquisadores entendem que as estruturas cerebrais que
      > >> >> produzem a
      > >> >> > > > > > >> consciência em humanos também existem nos animais. "As áreas
      > >> >> do
      > >> >> > > > > cérebro que
      > >> >> > > > > > >> nos distinguem de outros animais não são as que produzem a
      > >> >> > > > > consciência",
      > >> >> > > > > > >> diz Low, que concedeu a seguinte entrevista ao site de VEJA:
      > >> >> (...)
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> Veja.com - Qual é a ambição do manifesto?
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> P. L. - Os neurocientistas se tornaram militantes do movimento
      > >> >> > > sobre o
      > >> >> > > > > > >> direito dos animais? É uma questão delicada. Nosso papel como
      > >> >> > > > > cientistas
      > >> >> > > > > > >> não é dizer o que a sociedade deve fazer, mas tornar público
      > >> >> o que
      > >> >> > > > > > >> enxergamos. A sociedade agora terá uma discussão sobre o que
      > >> >> está
      > >> >> > > > > > >> acontecendo e poderá decidir formular novas leis, realizar
      > >> >> mais
      > >> >> > > > > pesquisas
      > >> >> > > > > > >> para entender a consciência dos animais ou protegê-los de
      > >> >> alguma
      > >> >> > > > > forma.
      > >> >> > > > > > >> Nosso papel é reportar os dados.
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> Veja.com - As conclusões do manifesto tiveram algum impacto
      > >> >> sobre
      > >> >> > > o
      > >> >> > > > > seu
      > >> >> > > > > > >> comportamento?
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> P. L. - Acho que vou virar vegetariano. É impossível não se
      > >> >> > > > > sensibilizar
      > >> >> > > > > > >> com essa nova percepção sobre os animais, em especial sobre
      > >> >> sua
      > >> >> > > > > experiência
      > >> >> > > > > > >> do sofrimento. (...)
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> por Marco Túlio Pires
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> Leia a entrevista na íntegra em
      > >> >> > > > > > >> Parte 1:
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > >
      > >> >> > >
      > >> >> http://exame.abril.com.br/tecnologia/ciencia/noticias/nao-e-mais-possivel-dizer-que-nao-sabiamos-diz-philip-low?page=1
      > >> >> > > > > > >> Parte 2:
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > >
      > >> >> > >
      > >> >> http://exame.abril.com.br/tecnologia/ciencia/noticias/nao-e-mais-possivel-dizer-que-nao-sabiamos-diz-philip-low?page=2
      > >> >> > > > > > >> Parte 3:
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > >
      > >> >> > >
      > >> >> http://exame.abril.com.br/tecnologia/ciencia/noticias/nao-e-mais-possivel-dizer-que-nao-sabiamos-diz-philip-low?page=3
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >> [As partes desta mensagem que não continham texto foram
      > >> >> removidas]
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >>
      > >> >> > > > > > >
      > >> >> > > > > > >
      > >> >> > > > > >
      > >> >> > > > > >
      > >> >> > > > > > [As partes desta mensagem que não continham texto foram
      > >> >> removidas]
      > >> >> > > > > >
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > > >
      > >> >> > > >
      > >> >> > > >
      > >> >> > > > [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
      > >> >> > > >
      > >> >> > >
      > >> >> > >
      > >> >> > >
      > >> >> >
      > >> >> >
      > >> >> > [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
      > >> >> >
      > >> >>
      > >> >> 
      > >> >>
      > >> >
      > >> >
      > >> >[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
      > >> >
      > >> >
      > >> >
      > >> >------------------------------------
      > >> >
      > >> >Para sair da lista:
      > >> >espiritismo-brasil-unsubscribe@yahoogroups.com
      > >> >Não deixe de responder à mensagem de confirmação.
      > >> >
      > >> >http://www.espiritismo-brasil.org.br/Links do Yahoo! Grupos
      > >> >
      > >> >
      > >> >
      > >> >
      > >> >
      > >>
      > >> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
      > >>
      > >
      > >
      > >
      > >
      > >
      >
      > [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
      >
    • Vladimir Alexei
      Talvez seja por aí mesmo... só acho que deveríamos dedicar mais ao divino no sentido de aprimorarmos mais as percepções em relação ao mundo maior...
      Mensagem 34 de 34 , 22 de jul de 2012
        Talvez seja por a� mesmo... s� acho que dever�amos dedicar mais ao "divino"
        no sentido de aprimorarmos mais as percep��es em rela��o ao mundo maior...
        afinal, de l� viemos, para l� voltaremos!!
        Abra��o Waldir!!
        vlad


        Em 22 de julho de 2012 10:16, waldir oliveira
        <oliveirawaldir@...>escreveu:

        > **
        >
        >
        > --- Em espiritismo-brasil@..., Sergio Martins <sergmart55@...>
        > escreveu
        >
        > <<<Assistimos embevecidos as palestras de expositores brilhantes falando
        > sobre os maravilhosos ensinamentos de Jesus mas n�o desenvolvemos o menor
        > sentimento fraternal.
        >
        > Ouvimos maravilhados por 30 ou 60 minutos e esquecemos tudo 5 minutos
        > depois.>>>
        >
        > Mas, acho que est� de bom tamanho... s�o os 5 minutinhos com o 'divino'...
        > e vamos aguardar a pr�xima... s�o gotas homeop�tica dinamizadas � 30�
        > pot�ncia.
        >
        > Entram encarna��es, saem encarna��es, e no porvir come�aremos a ficar
        > despertos com o que conhecemos, isto �, fazer alguma coisa com o que
        > aprendemos.
        >
        > Somos frutos do meio... a reflex�o, a medita��o s�o exerc�cios para
        > ascetas, gurus, rishis etc que tem todo tempo nas montanhas geladas do
        > Himalaia e tamb�m n�o sabem o que fazer com o produto da medita��o em meio
        > a isola��o.
        >
        > N�s da modernidade, em meio ao borburinho di�rio somos propensos ao fast
        > food mental, com o titulo da not�cia j� imaginamos o conte�do,
        > telejornal... pronto acabou a atualiza��o
        >
        > A WEB est� a� e � quase um registro akhasico, � poss�vel estudar, analisar
        > conhecimentos espiritualistas variados (e a espbr era um bra�o desse
        > conhecimento, bruto � verdade e carecia de discernimento) mas e da�... o
        > detalhe principal mora no que vamos fazer com o que acabamos de conhecer...
        > e na maioria das vezes n�o fazemos absolutamente nada em nosso benef�cio, o
        > que dir� em benef�cio do pr�ximo-pr�ximo, e do distante n�o est� em
        > cogita��o.
        >
        > Conhecimento n�o � aquilo que voc� sabe, mas o que voc� faz com aquilo que
        > voc� sabe.
        > Aldous Huxley
        >
        > Abs
        >
        > waldir
        >
        > PS.: meu conhecimento eu guardo numa pastinha para ler com tempo nas
        > f�rias <:o)
        >
        > >
        > > Vlad,
        > >
        > > > Mas que estamos desencarnando mal e que esse "conhecimento todo" n�o
        > est� fazendo diferen�a, isso n�o est�, infelizmente!! :-)
        > >
        > > Ainda ontem conversei com uma pessoa que se confessou decepcionado com
        > > os CEs que ele j� frequentou por conta do "fa�a o que eu falo mas n�o
        > > fa�a o que eu fa�o" que existe l�.
        > >
        > > Por motivos maiores, tive que me afastar do dia a dia do CE que
        > > frequento e isso me fez ampliar a vis�o cr�tica que sempre mantive em
        > > rela��o a minha casa (que � uma boa casa... a melhor que eu conhe�o,
        > > que fique claro).
        > >
        > > A vis�o um pouco mais distante e, portanto, mais isenta de paix�es e
        > > partidarismos, tem me mostrado o quanto n�s estamos nos iludindo.
        > >
        > > Distribu�mos o sop�o acreditando que somos caridosos quando na verdade
        > > estamos apenas satisfazendo nosso orgulho.
        > >
        > > Contribu�mos com a distribui��o da cesta b�sica, dos cobertores, das
        > > roupas, mas egoisticamente somos incapazes de oferecer um ombro amigo
        > > ao sujeito que est� sentado ao nosso lado enfrentando dificuldades as
        > > vezes bem maiores do que aquelas dos "assistidos".
        > >
        > > Assistimos embevecidos as palestras de expositores brilhantes falando
        > > sobre os maravilhosos ensinamentos de Jesus mas n�o desenvolvemos o
        > > menor sentimento fraternal.
        > >
        > > Ouvimos maravilhados por 30 ou 60 minutos e esquecemos tudo 5 minutos
        > depois.
        > >
        > > Conversamos com esp�ritos sofredores e "ajudamos" eles a superarem
        > > seus equ�vocos mas n�o percebemos que n�s estamos incorrendo nos
        > > mesmos erros que eles e que n�o estamos aproveitando a oportunidade
        > > para refletir sobre nosso pr�prio miser� moral.
        > >
        > > Como disse em outra msg, prevejo grandes decep��es a caminho.
        > >
        > > Abra��o.
        > >
        > > Sergio Martins
        > > @sergiomartins1
        > >
        > >
        > >
        > > Em 22 de julho de 2012 00:32, vladimir alexei
        > > <vladimir_alexei@...> escreveu:
        > > >
        > > >
        > > >
        > > > kkkkkkk bondade sua como sempre, amigo Serj�o!!!!
        > > > Mas que estamos desencarnando mal e que esse "conhecimento todo" n�o
        > est� fazendo diferen�a, isso n�o est�, infelizmente!! :-)
        > > > Grande abra�o meu amigo!!
        > > >
        > > >
        > > > vlad
        > > >
        > > > >________________________________
        > > > > De: Sergio Martins <sergmart55@...>
        > > > >Para: espiritismo-brasil@...
        > > > >Enviadas: S�bado, 21 de Julho de 2012 19:47
        > > > >Assunto: Re: [Esp-Br] "N�o � mais poss�vel dizer que n�o sab�amos"
        > > >
        > > > >
        > > > >Cabra bom
        > > > >
        > > > >"(...) esse entendimento cient�fico n�o tem levado o Esp�rita a ser
        > > > >melhor, a melhorar-se como Esp�rito Imortal. Criticamos tanto os
        > > > >evang�licos que nos tornamos catedr�ticos em espiritismo enquanto a
        > > > >"moral" do Cristianismo Redivivo ainda est� longe por ser realizada em
        > > > >plenitude..."
        > > > >
        > > > >Cabra bom!
        > > > >
        > > > >� por isso que sou disc�pulo dele.
        > > > >
        > > > >� o Vlad, meu mano, meu mestre.
        > > > >
        > > > >Sergio Martins
        > > > >@sergiomartins1
        > > > >
        > > > >
        > > > >
        > >
        >
        >
        >


        [As partes desta mensagem que n�o continham texto foram removidas]
      Sua mensagem foi enviada com êxito e será entregue aos destinatários em breve.