Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.
 

AKT e tempo

Expandir mensagens
  • José Victor
    Muito se tem escrito sobre o tempo: o que é, sua gênese, etc. AKT discorre sobre o dificílimo tema de modo preciso, concluindo: ...pois o tempo é uma
    Mensagem 1 de 5 , 28 de mai

      Muito se tem escrito sobre o tempo: o que é, sua gênese, etc. 

      AKT discorre sobre o dificílimo tema de modo preciso, concluindo:
      "...pois o tempo é uma ordem de sucessões". 
      Em minha opinião, que nada sei do tempo, a não ser os cabelos brancos e outras inquisiqueiras que surgem enquanto este danado passa, entendo que o tempo é mesmo como define Assis; e mais, que é uma medida da modificação das coisas. a ordem de sucessão de eventos aponta para o conceito de linha de mundo, que é a "trajetória" traçada por essa sucessão. E ainda que a modificação das coisas vai depender do movimento delas e em que potencial se encontra.  Creio que, com as informações a seguir, o trabalho original pode ser encontrado na descrição abaixo, que é um resumo do que ele trata alí. 


      AKT Assis, Consequences of Relational Time , Actas da Natural Philosophy Alliance (Lulu Press, 2011), Volume 8, pp. 36-39. (18ª Conferência Anual da NPA, 6-9 de julho de 2011 na Universidade de Maryland, College Park, EUA). Resumo: Existem duas formulações concorrentes do tempo na física. Newton defendeu nos Principia a utilização do tempo absoluto que, segundo ele, "flui equânime sem relação com nada externo". Leibniz, por outro lado, opôs-se a esse conceito e propôs um tempo relativo para substituí-lo: "Quanto à minha opinião, eu disse mais de uma vez, que eu tenho espaço para ser algo meramente relativo, como o tempo é; Que eu o considero uma ordem de convivências, pois o tempo é uma ordem de sucessões. "As idéias de Leibniz foram aceitas e desenvolvidas por Ernst Mach em seu livro The Science of Mechanics. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação.

      Sds,
      Victor
    • Belmiro Wolski
      E eu fui lendo, fui lendo e sempre a mesma frase. Pô Victor, sacanagem! Belmiro  Enviado do Yahoo Mail no Android Em 9:33 Dom, 28 de mai de AM, José Victor
      Mensagem 2 de 5 , 28 de mai
        E eu fui lendo, fui lendo e sempre a mesma frase. Pô Victor, sacanagem!

        Belmiro 


        Em 9:33 Dom, 28 de mai de AM, José Victor jvoneto1@... [ciencialist]
        <ciencialist@...> escreveu:
         


        Muito se tem escrito sobre o tempo: o que é, sua gênese, etc. 

        AKT discorre sobre o dificílimo tema de modo preciso, concluindo:
        "...pois o tempo é uma ordem de sucessões". 
        Em minha opinião, que nada sei do tempo, a não ser os cabelos brancos e outras inquisiqueiras que surgem enquanto este danado passa, entendo que o tempo é mesmo como define Assis; e mais, que é uma medida da modificação das coisas. a ordem de sucessão de eventos aponta para o conceito de linha de mundo, que é a "trajetória" traçada por essa sucessão. E ainda que a modificação das coisas vai depender do movimento delas e em que potencial se encontra.  Creio que, com as informações a seguir, o trabalho original pode ser encontrado na descrição abaixo, que é um resumo do que ele trata alí. 


        AKT Assis, Consequences of Relational Time , Actas da Natural Philosophy Alliance (Lulu Press, 2011), Volume 8, pp. 36-39. (18ª Conferência Anual da NPA, 6-9 de julho de 2011 na Universidade de Maryland, College Park, EUA). Resumo: Existem duas formulações concorrentes do tempo na física. Newton defendeu nos Principia a utilização do tempo absoluto que, segundo ele, "flui equânime sem relação com nada externo". Leibniz, por outro lado, opôs-se a esse conceito e propôs um tempo relativo para substituí-lo: "Quanto à minha opinião, eu disse mais de uma vez, que eu tenho espaço para ser algo meramente relativo, como o tempo é; Que eu o considero uma ordem de convivências, pois o tempo é uma ordem de sucessões. "As idéias de Leibniz foram aceitas e desenvolvidas por Ernst Mach em seu livro The Science of Mechanics. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação.

        Sds,
        Victor
      • José Victor
        Juro que, na minha suprema asnice, não entendi vossa explosão: E eu fui lendo, fui lendo e sempre a mesma frase. Pô Victor, sacanagem! E ainda estou
        Mensagem 3 de 5 , 28 de mai
          Juro que, na minha suprema asnice, não entendi vossa explosão:

          "E eu fui lendo, fui lendo e sempre a mesma frase. Pô Victor, sacanagem!"

          E ainda estou escorregando na maionese. 

          Só esclareço que o texto após o título do artigo  Consequences of Relational Time  é do próprio Assis.

          Sds,
          Victor. 

          Em 28 de maio de 2017 09:57, Belmiro Wolski belmirow@... [ciencialist] <ciencialist@...> escreveu:
           

          E eu fui lendo, fui lendo e sempre a mesma frase. Pô Victor, sacanagem!


          Belmiro 


           


          Muito se tem escrito sobre o tempo: o que é, sua gênese, etc. 

          AKT discorre sobre o dificílimo tema de modo preciso, concluindo:
          "...pois o tempo é uma ordem de sucessões". 
          Em minha opinião, que nada sei do tempo, a não ser os cabelos brancos e outras inquisiqueiras que surgem enquanto este danado passa, entendo que o tempo é mesmo como define Assis; e mais, que é uma medida da modificação das coisas. a ordem de sucessão de eventos aponta para o conceito de linha de mundo, que é a "trajetória" traçada por essa sucessão. E ainda que a modificação das coisas vai depender do movimento delas e em que potencial se encontra.  Creio que, com as informações a seguir, o trabalho original pode ser encontrado na descrição abaixo, que é um resumo do que ele trata alí. 


          AKT Assis, Consequences of Relational Time , Actas da Natural Philosophy Alliance (Lulu Press, 2011), Volume 8, pp. 36-39. (18ª Conferência Anual da NPA, 6-9 de julho de 2011 na Universidade de Maryland, College Park, EUA). Resumo: Existem duas formulações concorrentes do tempo na física. Newton defendeu nos Principia a utilização do tempo absoluto que, segundo ele, "flui equânime sem relação com nada externo". Leibniz, por outro lado, opôs-se a esse conceito e propôs um tempo relativo para substituí-lo: "Quanto à minha opinião, eu disse mais de uma vez, que eu tenho espaço para ser algo meramente relativo, como o tempo é; Que eu o considero uma ordem de convivências, pois o tempo é uma ordem de sucessões. "As idéias de Leibniz foram aceitas e desenvolvidas por Ernst Mach em seu livro The Science of Mechanics. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação.

          Sds,
          Victor


        • Belmiro Wolski
          Então você não leu o texto do Assis. Tá repetido ene vezes! Enviado do Yahoo Mail no Android Em 15:23 Dom, 28 de mai de PM, José Victor jvoneto1@gmail.com
          Mensagem 4 de 5 , 28 de mai
            Então você não leu o texto do Assis. Tá repetido ene vezes!


            Em 15:23 Dom, 28 de mai de PM, José Victor jvoneto1@... [ciencialist]
            <ciencialist@...> escreveu:
             

            Juro que, na minha suprema asnice, não entendi vossa explosão:

            "E eu fui lendo, fui lendo e sempre a mesma frase. Pô Victor, sacanagem!"

            E ainda estou escorregando na maionese. 

            Só esclareço que o texto após o título do artigo  Consequences of Relational Time  é do próprio Assis.

            Sds,
            Victor. 

            Em 28 de maio de 2017 09:57, Belmiro Wolski belmirow@... [ciencialist] <ciencialist@...> escreveu:
             

            E eu fui lendo, fui lendo e sempre a mesma frase. Pô Victor, sacanagem!


            Belmiro 


             


            Muito se tem escrito sobre o tempo: o que é, sua gênese, etc. 

            AKT discorre sobre o dificílimo tema de modo preciso, concluindo:
            "...pois o tempo é uma ordem de sucessões". 
            Em minha opinião, que nada sei do tempo, a não ser os cabelos brancos e outras inquisiqueiras que surgem enquanto este danado passa, entendo que o tempo é mesmo como define Assis; e mais, que é uma medida da modificação das coisas. a ordem de sucessão de eventos aponta para o conceito de linha de mundo, que é a "trajetória" traçada por essa sucessão. E ainda que a modificação das coisas vai depender do movimento delas e em que potencial se encontra.  Creio que, com as informações a seguir, o trabalho original pode ser encontrado na descrição abaixo, que é um resumo do que ele trata alí. 


            AKT Assis, Consequences of Relational Time , Actas da Natural Philosophy Alliance (Lulu Press, 2011), Volume 8, pp. 36-39. (18ª Conferência Anual da NPA, 6-9 de julho de 2011 na Universidade de Maryland, College Park, EUA). Resumo: Existem duas formulações concorrentes do tempo na física. Newton defendeu nos Principia a utilização do tempo absoluto que, segundo ele, "flui equânime sem relação com nada externo". Leibniz, por outro lado, opôs-se a esse conceito e propôs um tempo relativo para substituí-lo: "Quanto à minha opinião, eu disse mais de uma vez, que eu tenho espaço para ser algo meramente relativo, como o tempo é; Que eu o considero uma ordem de convivências, pois o tempo é uma ordem de sucessões. "As idéias de Leibniz foram aceitas e desenvolvidas por Ernst Mach em seu livro The Science of Mechanics. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação.

            Sds,
            Victor


          • José Victor
            Você have razão. Mas, para mim, a relevância está nas declarações envolvendo o tempo, dai minha ênfase mais arriba, que era o que eu deveria ter cortado
            Mensagem 5 de 5 , 28 de mai

              Você have razão. Mas, para mim, a relevância está nas declarações envolvendo o tempo, dai minha ênfase mais arriba, que era o que eu deveria ter cortado e colado:


              "Existem duas formulações concorrentes do tempo na física. Newton defendeu nos Principia a utilização do tempo absoluto que, segundo ele, "flui equânime sem relação com nada externo". Leibniz, por outro lado, opôs-se a esse conceito e propôs um tempo relativo para substituí-lo: "Quanto à minha opinião, eu disse mais de uma vez, que eu tenho espaço para ser algo meramente relativo, como o tempo é; Que eu o considero uma ordem de convivências, pois o tempo é uma ordem de sucessões. "As idéias de Leibniz foram aceitas e desenvolvidas por Ernst Mach em seu livro The Science of Mechanics. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. "


              E a intenção é esta: provocar vossas mentes inquisidoras para as declarações acima. Somente. Sobretudo considerando que Assis é anti-relativista ferrenho. 

              Sds,

              Victor. 



              Em 28 de maio de 2017 16:52, Belmiro Wolski belmirow@... [ciencialist] <ciencialist@...> escreveu:
               

              Então você não leu o texto do Assis. Tá repetido ene vezes!


               

              Juro que, na minha suprema asnice, não entendi vossa explosão:

              "E eu fui lendo, fui lendo e sempre a mesma frase. Pô Victor, sacanagem!"

              E ainda estou escorregando na maionese. 

              Só esclareço que o texto após o título do artigo  Consequences of Relational Time  é do próprio Assis.

              Sds,
              Victor. 

              Em 28 de maio de 2017 09:57, Belmiro Wolski belmirow@... [ciencialist] <ciencialist@.... br> escreveu:
               

              E eu fui lendo, fui lendo e sempre a mesma frase. Pô Victor, sacanagem!


              Belmiro 


               


              Muito se tem escrito sobre o tempo: o que é, sua gênese, etc. 

              AKT discorre sobre o dificílimo tema de modo preciso, concluindo:
              "...pois o tempo é uma ordem de sucessões". 
              Em minha opinião, que nada sei do tempo, a não ser os cabelos brancos e outras inquisiqueiras que surgem enquanto este danado passa, entendo que o tempo é mesmo como define Assis; e mais, que é uma medida da modificação das coisas. a ordem de sucessão de eventos aponta para o conceito de linha de mundo, que é a "trajetória" traçada por essa sucessão. E ainda que a modificação das coisas vai depender do movimento delas e em que potencial se encontra.  Creio que, com as informações a seguir, o trabalho original pode ser encontrado na descrição abaixo, que é um resumo do que ele trata alí. 


              AKT Assis, Consequences of Relational Time , Actas da Natural Philosophy Alliance (Lulu Press, 2011), Volume 8, pp. 36-39. (18ª Conferência Anual da NPA, 6-9 de julho de 2011 na Universidade de Maryland, College Park, EUA). Resumo: Existem duas formulações concorrentes do tempo na física. Newton defendeu nos Principia a utilização do tempo absoluto que, segundo ele, "flui equânime sem relação com nada externo". Leibniz, por outro lado, opôs-se a esse conceito e propôs um tempo relativo para substituí-lo: "Quanto à minha opinião, eu disse mais de uma vez, que eu tenho espaço para ser algo meramente relativo, como o tempo é; Que eu o considero uma ordem de convivências, pois o tempo é uma ordem de sucessões. "As idéias de Leibniz foram aceitas e desenvolvidas por Ernst Mach em seu livro The Science of Mechanics. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Mach propôs substituir o tempo absoluto de Newton pelo ângulo de rotação dos planetas em relação à estrutura de estrelas fixas. Neste trabalho consideramos a implementação do tempo relacional e suas conseqüências para a física. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação. Concentramos nossa análise em um único fenômeno, a saber, o achatamento da Terra devido à sua rotação diurna. Consideramos a figura da Terra na mecânica newtoniana. Destacamos alguns problemas filosóficos com esta formulação clássica. Apresentamos então o achatamento da Terra do ponto de vista da Mecânica Relacional, que é uma implementação matemática do princípio de Mach, utilizando a lei de Weber para a gravitação.

              Sds,
              Victor



            Sua mensagem foi enviada com êxito e será entregue aos destinatários em breve.