Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.

9861Purescience: minha opinião

Expandir mensagens
  • Ivo Michalick
    24 de jul de 2004
      Pessoal,

      Se apenas uma pessoa desta lista entender meu ponto de vista, vai ter
      valido a pena ter escrito esta mensagem:

      1. Hoje posso estar meio fora (diretamente, pois tem muitos amigos
      que ajudo quando me pedem, com o maior prazer) da produção de eventos
      de música eletrônica em BH, mas posso dizer que picuinhas sempre
      existiram e vão existir em qualquer meio. O que os envolvidos
      deveriam evitar é deixar a coisa tornar-se pública, pois quem está de
      fora assistindo (inclusive patrocinadores potenciais) acaba colocando
      todos os envolvidos "no mesmo saco".

      2. Tee, sei que de alguma maneira essa mensagem chega até você:
      assina a lista. Esta é a segunda ou terceira vez desde que entrei
      para ela que vejo uma polêmica envolvendo você onde suas mensagens
      sempre aparecem por vias indiretas. Por acaso você foi banido algum
      dia? Se você tem alguma diferença com os moderadores, lembre-se de
      que a lista não tem dono (ou, vendo por outro lado, tem 160 donos) e
      não deixe que isto o impeça de participar. Se email já causa mal
      entendido, imagina email indireto e público! Pessoalmente, acho que a
      melhor maneira de se resolver este tipo de coisa é na base de uma
      boa conversa cara a cara, só entre os envolvidos e sem ninguém de
      fora se envolver. Mas a coisa ficou pública, então cá estou eu dando
      palpite nesta confusão toda...

      3. Importância da lista: somos 160 hoje. Meu primeiro mailing (de uma
      festa em 96 no Estrela) tinha 147 nomes. Imagino que na Up não caibam
      muito mais do que 200 pessoas. Pra mim tudo isto é uma evidência de
      que o tamanho do grupo mais engajado da cena continua praticamente o
      mesmo. Estas acabam sendo as pessoas que fazem as coisas acontecerem.
      Além deste grupo, existem pelo menos umas 3000 pessoas que não estão
      entre estes nomes e que também vão aos eventos. Só que tem uma coisa:
      esta turma é PÚBLICO CONSUMIDOR. Como tal, precisa ser conquistado
      para cada evento, pois faz suas escolhas com base na divulgação e na
      comparação entre as opções. Pode preferir ir num show do Los Hermanos
      do que numa festa do DJ ^&%#@, dependendo de como for feita a
      divulgação. O que sei que acontece (vi acontecer aqui, e vi a coisa
      se repetir em Manaus quando morei lá e fiz a Pororoka Music) é que,
      se os 147, 160 ou 200 (em Manaus começamos com uns 10...) nomes
      trabalham direito, conseguem aos poucos ampliar esta massa crítica e
      às vezes alguns conseguem até mesmo se profissionalizar e ter o
      privilégio de trabalhar com aquilo que gostam.

      4. A polêmica em si: foi muito chato (mas bastante didático) ler
      todas as mensagens, mesmo que em momento algum tenha sido revelado o
      nome do tal "culpado". Só que tem uma coisa: pelo que eu saiba BH
      nunca teve uma venda antecipada forte, então acho que o suposto
      problema, se aconteceu mesmo, deve ter atrapalhado muito pouco a
      festa. O que acho que aconteceu é que os produtores não
      conseguiram "vender a festa" para este tão difícil PÚBLICO
      CONSUMIDOR. Isto já aconteceu comigo, aconteceu agora com a Filtro e
      tenho certeza de que já aconteceu com muitos de vocês. Só que acho
      que ficar tentando achar culpado numa lista pública não adianta
      muito, se a idéia era "queimar o filme" do suposto bandido existem
      maneiras bem mais eficientes e privadas de se fazer isto. E cá pra
      nós, a estória ficou mesmo esquisita, afinal os vendedores das lojas
      tinham o contato dos produtores para confirmar se o boato era
      verdade. Se alguma lição precisa ser tirada daí é que a Filtro
      precisa mudar seus pontos de venda antecipada e investir mais em
      divulgação para atrair o tal do PÚBLICO CONSUMIDOR (acho que esta
      última vale para quase todo mundo de BH que trabalha com eventos de
      eletrônica). No início da Motor nós tínhamos um grupo que percorria
      as lojas onde deixávamos flyers só para "testar" o real apoio da loja
      para os eventos. Teve caso de lojista que simplesmente jogou nossos
      flyers no lixo depois que os divulgadores saíram da loja...

      5. A tal da "cena": muito se fala dela por aqui, mas alguém já parou
      pra pensar no que ela é? Eu já, mais de uma vez, e escrevi um texto a
      respeito que já foi bastante discutido com colegas de outras cidades,
      mas que aqui em BH simplesmente "passou batido". Vale a pena conferir
      para alimentar uma discussão mais consistente (no sentido de definir
      entre os interessados ações específicas pela consolidação da cena
      eletrônica de BH):

      http://www.rraurl.com/cena/coluna.php?rr_coluna_id=479

      Eu poderia falar mais um monte de outras coisas que penso sobre a
      famosa cena local, mas vai dar trabalho e sei que a maioria de vocês
      não deve nem chegar até aqui. Os que me conhecem sabem boa parte do
      que penso, e quem quiser saber mais pode me procurar em pvt.

      Ivo Michalick