Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.

9616EM de ontem (MS de novo...)

Expandir mensagens
  • Ivo Michalick
    26 de mai de 2004
      Mais mais uma vez o "crítico musical" Mário Sérgio, do Estado de
      Minas, assinou uma crítica preconceituosa sobre um disco de música
      eletrônica. Desta vez a vítima foi o excelente "Bajofondo Tango
      Club", que felizmente acaba de ser lançado por aqui (estou ouvindo
      enquanto escrevo esta mensagem).

      Eu disse mais uma vez por conta de outra crítica infeliz (mostrando
      preconceito claro contra a música eletrônica e total ausência de
      conteúdo esteticamente relevante) que o MS assinou em 16 de setembro
      passado, intitulada "Indigência da Música Eletrônica", e que foi
      devidamente esculhambada por aqui (confiram as mensagens a partir da
      #7244).

      Segue abaixo o texto da (felizmente) curta e (mais uma vez!) infeliz
      resenha:

      "Diante do avanço insidioso da eletrônica, era previsível que nem
      mesmo o tango resistisse ao seu ataque e acabasse se rendendo à
      incursão de computadores e samplers. Idealizadores do projeto BTC, o
      argentino Gustavo Santaolalla e o uruguaio Juan Campodónico parecem
      fazer música para quem não gosta de música, neutralizando a força do
      tango pela simples diluição, se apropriando de frases melódicas e
      repetindo batidas energéticas que dão asas para correr a aeróbica
      noturna. Neste sentido, como mero desfrute, a coletânea até que
      funciona."

      MS - Caderno de Cultura do Estado de Minas - 25 de maio de 2004

      Pelo jeito o EM não se importou mesmo com as muitas reclamações que
      vários de nós (inclusive eu, em mais de uma mensagem) dirigiram ao
      jornal naquela época: além de não ter publicado nenhuma das mensagens
      que lhe foram enviadas sobre o assunto, coloca mais uma vez o senhor
      MS para escrever sobre o que não entende.

      Tem jeito não, o "avanço insidioso da eletrônica" é inevitável...

      Ivo
      P.S.: pelo menos ele mostrou uma certa evolução: passamos de "zumbis
      descerebrados 'bombando nas baladas da night'" a praticantes
      de "aeróbica noturna"...