Carregando ...
Desculpe, ocorreu um erro ao carregar o conteúdo.

7248Re: [bh-vibe] Estado de Minas de hoje.

Expandir mensagens
  • Gh0
    16 de set de 2003
      Mas isso é bem comum deixa o cara. Música antes de ser entendido como
      música era barulho (ou continua sendo hahhahaha)

      Música eletrônica, como o Jazz,: NÃO É PARA TODO MUNDO! Só para quem pode e
      entende.

      Essa crítica é a mesma para qualquer estilo "novo" que aparece por ai.
      Pensa como a galera se sentiu quando alguém um dia pensou em fazer BOP jazz
      por ai.... de repente tudo muda e todo mundo se agarra em preciosismos para
      ver se fica alguma coisa mas o som em si, como os instrumentos, NUNCA
      IMPORTOU, sempre foi a aura ou a essencia que aquela media nos passou.....
      um cara desse nunca vai entender porque na década de 90 nós começamos a
      pintar quadros que não são nada mais do que uma tela em branco com um risco
      ou reta no meio....

      Eu, aliás, fico até feliz que existam pessoas assim. Um cara desse afasta
      um monte de gente chata das festas que vou, bem como gente sem curiosidade
      de pensar as coisas de um modo diferente e se jogar na noite!!!

      Também coitado do crítico, devem ter pedido para um Jeca pagodinho engolir
      cerveja de novo. Uma vai, mas na segunda o cara queh mesmo é cachaça!!!
      Seria a mesma coisa comigo se me dessem um disco de pagode para meter o pau
      até não so... digo criticar construtivamente... hahhahahahhahaha

      mas isso sou eu

      Gh0

      Obs. não estou defendendo os discos da crítica porque eu não ouvi... e sim
      o jeito como o cara analisou...
      At 18:43 16/9/2003 -0300, you wrote:

      >O cara tá bravo...:
      >
      >Indigência da música eletrônica
      >Mário Sérgio
      >
      >Não dá para acreditar o tanto de porcaria que a mídia
      >empurra goela abaixo do consumidor. No campo da música
      >eletrônica, então, é impressionante como DJs sem
      >inspiração alguma acabam conquistando um prestígio
      >injustificável. É o caso de três bolachinhas
      >distribuídas pela Sum Records: a coletânea Essentials
      >Vol. 1 e os CDs de Kevin Saunderson e Chris Liberator.
      >
      >
      >De diferentes formas, os três álbuns desmontam a farsa
      >de que todo DJ é músico. O mais certo é que alguns
      >bons músicos tenham se rendido às facilidades e
      >bandearam para o lado da eletrônica, como também fica
      >claro que, na grande maioria das vezes, DJ é apenas um
      >“misturador” de sons, um animador de pistas de dança.
      >Quase sempre montam suas “músicas” com trechos
      >surrupiados de músicas de verdade, acrescentando
      >batidas estéreis e repetitivas, como se isso fosse um
      >feito artístico.
      >
      >O argumento não convenceu? O que dizer da “habilidade
      >musical” de quem só sabe lidar com máquinas? O cara é
      >um mecânico, pode-se imaginar. Em vez de instrumentos
      >musicais, ele utiliza samplers, sequencers e outras
      >caixinhas mágicas. No máximo, um teclado indigente
      >aqui, a voz humana (?) acolá. O computador tomou conta
      >de tudo. A base matemática da música chegou ao seu
      >extremo. Basta ter alguma noção de informática para o
      >cara ser elevado ao status de gênio.
      >
      >O esquema fica bem evidente no primeiro disquinho, que
      >reúne material da gravadora Trax, de Chicago. Entre
      >muitos nomes obscuros para quem não é iniciado na
      >“cena” aparece o veterano Afrika Bambaataa, uma
      >espécie de pai espiritual do funk carioca. Nos outros
      >CDs, mais uma tonelada de house e techno que se ouve
      >dos dois lados do Atlântico, já que Saunderson é de
      >Nova York e Liberator, de Londres.
      >
      >Mas tudo bem... Se o cidadão prefere este baticum,
      >porque não gosta da música orgânica, aquela que
      >respira, que é viva e calorosa, pode continuar usando
      >estes recursos artificiais. Só não queira tentar
      >convencer os outros que o futuro da música está
      >restrito a oportunistas viciados em isotônicos que
      >“tocam” um som para gente extasiada, todos
      >transformados em zumbis descerebrados “bombando nas
      >baladas da night”.
      >
      >
      >_______________________________________________________________________
      >Desafio AntiZona: participe do jogo de perguntas e respostas que vai
      >dar um Renault Clio, computadores, câmeras digitais, videogames e muito
      >mais! www.cade.com.br/antizona
      >
      >Se você não quer mais assinar a lista, mande um e-mail em branco para:
      >bh-vibe-unsubscribe@yahoogroups.com
      >
      >
      >
      >Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
      >http://br.yahoo.com/info/utos.html



      [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
    • Mostrar todas as 33 mensagens neste tópico